Pesquisa revela preços altos para frutas e verduras

Pesquisa revela preços altos para frutas e verduras

A pesquisa mostrou uma pequena diferença de preços entre o estabelecimento mais caro e aquele que ofereceu o menor preço

A alta nos preços de alguns produtos durante o semestre de 2012é visível e muitos supermercados investem nas promoções para atrair a clientela. A pesquisa de preços realizada nas quatro grandes redes de supermercados da capital mostrou uma pequena diferença de preços entre o estabelecimento mais caro e aquele que ofereceu o menor preço.

O Extra esta semana foi o estabelecimento mais vantajoso, com a cesta total de produtos sendo encontrada por R$ 298,34. Em segundo lugar veio o Hiper Bompreço que vem revezando esta primeira posição com o Extra, com um total de R$ 300,58. Já o Pão de Açúcar vem oferecendo preços mais competitivos e deixando de se colocar como o estabelecimento menos vantajoso há várias semanas, ocupando o terceiro lugar com o total de R$ 301,0. Já o estabelecimento que se mostrou mais caro para o bolso do consumidor foi o Comercial Carvalho com um total de R$ 303,78.

Nos atacados, pesquisar e comprar pode ser um desafio

Todo mundo sabe que pesquisar preços é uma atitude altamente recomendada para a saúde financeira do lar. Essa premissa também vale para os atacadistas. Mas o consumidor que visita estes estabelecimentos em Teresina pode enfrentar uma série de problemas, que podem transformar uma simples ida às compras ou uma coleta em uma atividade muitas vezes extenuante.

Os problemas começam com a necessidade freqüente de ?driblar? mercadorias empilhadas em meio aos corredores. Em uns mais e em outros menos, esse problema quase sempre aparece nos atacadistas locais. O consumidor precisa ter em mente que os produtos empilhados e colocados junto a prateleiras para posterior arrumação podem inclusive esconder os preços de outros produtos (senão os próprios produtos). Com isso, não é difícil imaginar que um cliente pode perder a oportunidade de comprar mais barato porque uma oferta passou despercebida por ter ficado atrás de um amontoado de caixas.

Outro problema, já citado anteriormente pela pesquisa Meio Norte, é a falta da especificação de preços para diversos produtos nas prateleiras. Embora haja funcionários para orientar os consumidores, nem sempre eles estão por perto. Daí, é fácil deduzir que muita gente acaba desistindo do produto por não saber quanto o mesmo custa.

No ranking dessa semana, o Makro voltou a ocupar a primeira posição, e o Atacadão também manteve o desempenho da semana passada, com o segundo lugar. Já o Maxxi caiu para a última colocação, enquanto o Carvalho Mercadão subiu para terceiro. No entanto, a diferença de preços continua muito baixa ? apenas R$ 2,35 do mais caro para o mais barato na soma geral.



Fonte: Marcilany Rodrigues e Dowglas Lima