Petrobras pode explorar petróleo em Cuba

Petrobras pode explorar petróleo em Cuba

Ex-embaixador diz que atuação da estatal brasileira está na agenda da visita de Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva negocia a volta da Petrobras na exploração de petróleo ao longo da costa cubana, disse ao R7 o ex-embaixador do Brasil na ilha, Tilden Santiago. O diplomata, que esteve à frente da embaixada em Cuba durante o primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006), afirmou que esse será um dos temas na agenda da visita de Lula à terra de Fidel Castro nesta quarta-feira (24), ainda que de forma extraoficial:

- Tenho informações do Itamaraty e da Presidência de que o presidente [Lula] pretende retomar vários aspectos. Um deles é a possibilidade de o Brasil voltar a participar das prospecções de petróleo no entorno da ilha de Cuba. Nos dois primeiros anos em que eu estava lá [como embaixador] a Petrobras atuou no país.

Questionada, a assessoria de imprensa do Itamaraty disse que não confirma a informação sobre a Petrobras. Mas também não nega.

Lula já havia acenado para essa possibilidade em visita à ilha no final de 2008. Na agenda oficial da visita dele a Cuba, no entanto, não estão previstos novos acordos sobre petróleo.

Em 2008, a Petrobras adquiriu direitos de exploração de um bloco de águas profundas cubanas no golfo do México. A empresa brasileira fez os estudos sísmicos, mas ainda não se decidiu sobre a exploração. Lula disse nesta semana em seu programa de rádio que a Petrobras poderia fazer uma prova de prospecção neste ano.

O governo Lula colocou a Petrobras para procurar petróleo em águas profundas cubanas, abriu uma linha de crédito comercial para o país, apesar da dificuldade de Havana em pagar seus fornecedores, e estabeleceu um acordo para que a construtora Odebrecht modernize o terminal de contêineres do porto de Mariel.

Odebrecht toca projetos de infraestrutura no país

Nesta quarta-feira, Lula viaja 50 km ao leste de Havana para inaugurar as obras de Mariel, porto famoso pelo êxodo de emigrantes em 1980. O Brasil espera transformar o local em um moderno terminal de contêineres.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já liberou cerca de R$ 550 milhões (US$ 300 milhões) para que a Odebrecht refaça estradas, ferrovias, cais e armazéns.

Lula disse nesta semana que o Brasil deseja investir também em hotéis e estradas em Cuba. O intercâmbio comercial bilateral em 2009 foi de aproximadamente R$ 600 milhões (330 milhões de dólares).

Durante a visita, serão criadas empresas mistas para a fabricação de vidros, móveis e produtos de biotecnologia.

Fonte: R7, www.r7.com