Piauí alcança o índice de 98,75% na vacinação contra a febre aftosa

Piauí alcança o índice de 98,75% na vacinação contra a febre aftosa

O relatório de vacinação contra a febre aftosa foi divulgado ontem pelo diretor-geral da Adapi, José Antônio

A primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa no Piauí atingiu 98,75% do gado. Isso significa que 1.656,487 do rebanho total de bovídeos estão protegidos da aftosa.

Segundo a Agência Agropecuária do Piauí (Adapi), nunca antes na história do estado se alcançou índices tão altos de vacinação de rebanho contra a aftosa.

O relatório da campanha de vacinação foi divulgado quarta-feira (26), pelo diretor-geral da Adapi, José Antônio. Os resultados comprovam que a cobertura vacinal só cresce a cada etapa realizada.

Em todo o estado, 79 municípios atingiram a meta de 100% da cobertura vacinal e de acordo com o diretor, o resultado foi surpreendente e se deve ao grande investimento do governo a causa e também, ao desempenho dos criadores.

?Tivemos a maior cobertura vacinal dos últimos tempos, atingimos um índice excelente que garante a segurança e a qualidade dos nossos animais.

E todo esse resultado se deve à grande estruturação da agência, pois hoje nos tornamos uma das melhores do Brasil, e também, aos nossos produtores, que estão conscientes e fazem sua parte, vacinando o rebanho no prazo previsto?, ressaltou.

Nos últimos anos, os resultados foram surpreendentes. Na primeira etapa de 2011, mais de 95% do rebanho foi vacinado; já na segunda etapa, o número subiu para mais de 97%.

Em 2012, os números continuaram a crescer, na primeira etapa de realização da campanha, o Piauí atingiu mais de 96% do rebanho e em 2013, apenas na primeira etapa, 97,15% do rebanho foi atingido e na segunda, 97,59% receberam as vacinas.

De acordo com o diretor, o próximo passo a ser dado diz respeito à certificação internacional do Piauí em área livre de aftosa. O evento de certificação acontecerá em Paris, de 27 a 30 de maio.

?Esse certificado proporcionará para o criador de gado a exportação de seu rebanho para outros países, com a garantia de uma carne segura para o consumo.

O resultado da campanha já foi encaminhado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária à Organização de Saúde Animal e até o fim de maio estaremos com esse certificado em mãos?, disse.

Fonte: Jornal Meio Norte