Polos estão preparados para atrair empresas em Teresina

Em Teresina, com as melhorias que estão ocorrendo nos Polos Empresariais Norte e Sul, inclusive na área energética,

Os polos empresarias de Teresina vêm recebendo ações de melhoria para atrair empresas de fora. Durante uma oficina realizada na Secretaria Municipal de Planejamento ? SEMPLAN para elaboração de um plano de ação da Região Integrada de Desenvolvimento da Grande Teresina ? RIDE, os técnicos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec) apresentaram os projetos executivos de pavimentação asfáltica e eletrificação dos polos empresarias Sul e Norte.

O objetivo desses projetos é para fortalecer e consolidar Teresina com um importante corredor logístico para o desenvolvimento e integração da região. De acordo com Monique Menezes, secretária executiva da Semdec, foi autorizada a licitação para pavimentação de parte das vias do polo Empresarial Sul.

O processo já foi aprovado pela Procuradoria do Município e encontra-se na Comissão de Licitação. A previsão é que as obras sejam iniciadas ainda neste primeiro semestre.

Além disso, no que se refere ao polo Empresarial Norte, a Prefeitura abriu processo licitatório para pavimentação da Via de Acesso Secundária II, captação de água e drenagem. ?O Governo do Estado está asfaltando a TER 220/150 com o objetivo de melhorar o acesso ao referido Polo e também está sendo instalada uma rede de 69 KVA para melhorar a qualidade da energia na área do polo?, explica.

Ainda segundo a secretária, existem muitas empresas interessadas em entrar na cidade, como exemplo do polo Empresarial Sul. Entretanto, não há mais áreas disponíveis para indústria, restam apenas alguns lotes para os segmentos de logística e atacadista. Por outro lado, o polo Empresarial Norte ainda possui muitos hectares disponíveis para instalação de indústrias.

?No momento, estamos recebendo muita procura de empresas voltadas para servir à construção civil, especializadas em pré-moldados?, coloca Monique ao ressaltar que algumas empresas logísticas estão interessadas em atender a demanda de uma multinacional fabricante de latas de alumínio, que iniciará sua produção no início de março com um investimento inicial de R$ 200 milhões.

Entre os dias 27 e 31 deste mês duas técnicas da SEMDEC estarão em Curitiba visitando uma empresa de logística que deseja se instalar no Polo Empresarial Norte para atender a demanda inicial da multinacional, que prevê a fabricação e distribuição de um bilhão de latas por ano.

Essa viagem a Curitiba também será aproveitada para atração de outras empresas para Teresina. Dentro desse cenário de interesses, existem também conversas iniciais sobre a possibilidade de novas indústrias de cervejas e refrigerantes se instalarem em Teresina. O interesse surgiu a partir da notícia de instalação da multinacional Crown no polo Empresarial Norte.

Lei é um dos atrativos para os investidores

Teresina constitui-se um importante entroncamento viário com saídas importantes para os Estados do Norte e Nordeste do País, sendo este um dos motivos para instalação de várias empresas, como é o exemplo de uma multinacional.

Esta empresa tem por objetivo distribuir latas já para a Copa do Mundo nos estados que sediarão os jogos do Norte e Nordeste. Além disso, a Lei 2.528/1997 instituída pelo Prefeito Firmino Filho que permite a doação de terrenos e a isenção de impostos municipais por até 10 anos, também influência a maioria dos interessados em investir em Teresina.

De acordo com Monique Menezes, cada polo da cidade possui ramos de negócios mais propícios. O Polo Empresarial Sul é voltado exclusivamente para indústria e neste momento está sendo atualizada a Lei para a atração dos segmentos logístico e atacadista, com o objetivo de descongestionar o centro da Cidade.

Com isso, o Polo Empresarial Norte será mais abrangente, permitindo o uso de solo para os segmentos da indústria, logística e também serviços que possam atender às indústrias que forem se instalar na localidade. "No Polo Empresarial Norte há uma área reservada exclusivamente para microempresas", destaca.

Atualmente, o Polo Empresarial Sul conta com indústrias voltadas para fabricação de pré-moldados, carrocerias, caixa d"água, beneficiamento de alimentos, metal mecânica, rações animais e fibra de vidros. Estão previstos para instalação os segmentos de medicamento, fármacos, nutrição, laticínio, aramados, móveis para escritório e confecção.

No Polo Empresarial Norte está em funcionamento uma empresa de tecnologia vegetal e para março entra em operação a Crown indústria de embalagens de alumínio.

Fonte: Djalma Batista e Aline Damasceno