Preço de cigarro sobe menos, e IPC-S desacelera em junho

Índice acumula alta de 2,83%, no ano e 5,37%, nos últimos 12 meses.

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) desacelerou para 0,11% na quarta quadrissemana de junho, de 0,16% na terceira semana do mês, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira (2). Com esse resultado, o indicador acumula alta de 2,83%, no ano e 5,37%, nos últimos 12 meses.

No fechamento do mês, cinco das oito classes de despesa componentes do IPC-S apresentaram taxas menores de variação. O principal destaque partiu do grupo despesas diversas, que passou de uma alta de 1,48% na terceira semana, para 0,48% na quarta semana. Nessa classe de despesa, a inflação do item cigarros cedeu de 3,15% para 0,51%.

Também apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: vestuário (de 0,22% para 0,06%), saúde e cuidados pessoais (de 0,53% para 0,38%), habitação (de 0,13% para 0,06%) e educação, leitura e recreação (de -0,06% para -0,10%). Para cada uma dessas classes de despesa destacaram-se os itens: roupas (-0,05% para -0,28%), medicamentos em geral (0,42% para 0,16%), tarifa de eletricidade residencial (-0,46% para -0,84%) e cursos não formais (0,70% para 0,59%), respectivamente.

Em contrapartida, transportes (de -0,81% para -0,73%), alimentação (de 0,67% para 0,74%) e comunicação (de -0,02% para zero), apresentaram variações mais altas de preços por conta de itens como tarifa de ônibus urbano (de 1,32% para 1,94%), panificados e biscoitos (de 0,88% para 1%) e tarifa de telefone residencial (de -0,08% para zero), respectivamente.

Fonte: G1