Preço do peixe vai ficar instável durante Quaresma

Preço do peixe vai ficar instável no mercado

O baixo fornecimento de peixes durante as festas de fim de ano, e na piracema, o período de reprodução dos peixes de água doce, e a proximidade com a Quaresma são fatores que prometem aumentar e deixar os preços do peixe bastante instáveis pelos próximos três meses, de acordo com vendedores do Mercado do Peixe, na zona Leste de Teresina.

De acordo com o peixeiro Carlos Alberto Silva, durante os primeiros dias de janeiro o preço dos peixes se manteve estável devido à baixa oferta e procura, segundo ele, ocasionado pelas festas de Natal e Réveillon.

Entretanto, o próximo carregamento de peixe previsto para ser entregue na segunda-feira (13), já deverá chegar ao Mercado com preços reajustados. O motivo é que o fornecimento ficará quase por conta dos piscicultores. ?O fornecimento dos pescados caiu cerca de 40% devido à piracema e por isso os criadores do Piauí, Ceará e Maranhão aproveitam o período favorável e a preparação da quaresma para cobrarem mais?, disse.

De acordo com ele, os peixes que mais devem sofrer aumento são os protegidos pela piracema e que não são criados em piscicultura, como a branquinha, curimatá e piratinga, cujo quilo custa R$ 13,00 e passará a R$ 16,00 a partir da segunda ou terça-feira (14). Já o vendedor Joaquim Neto Pereira acrescenta que os peixes tambaqui e tilápia, que são muito procurados por restaurantes, também deverão sofrer reajuste a partir desta semana.?Eles são alguns dos peixes mais vendidos, custando cerca de R$ 9 por quilo. Com o aumento, passarão a R$ 10?, disse o vendedor.

Os peixes de água salgadas também já estão em fata no Mercado do Peixe , como a popular pescada amarela, cuja pesca teve uma pausa durante as festas de fim de ano. A partir desta semana o preço passará de R$ 20 e 22,00 a R$ 25,00 para o consumidor final durante os próximos três meses, de acordo com o peixeiro Genésio Monteiro. ?Nosso lucro é muito pequeno, pois já estamos comprando do fornecedor por R$ 20,00 o quilo, não dá pra segurar mais o preço para Semana Santa.

É a lei da oferta e da procura?

Mesmo com a promessa de aumento, os clientes do Mercado não parecem estar apreensivos. O cliente Pedro Gomes Linhares é um consumidor frequente de peixe e disse que de forma alguma irá reduzir a compra do peixe. ?Eu como peixe quase todos os dias, se o preço do que eu gosto subir demais, posso considerar outras opções mais baratas?.

Fonte: Samira Ramalho