Preço do tomate está pesando no bolso do consumidor, aponta a FGV

Preço do tomate está pesando no bolso do consumidor, aponta a FGV

A qualidade do alimento baixou muito, o consumidor está pagando mais caro

O tomate aumentou 150% no último ano, conforme aponta a Fundação Getúlio Vargas. Considerado o vilão das compras, hoje o produto chega a R$ 5,50, e é um dos responsáveis pelo aumento das despesas diárias.

A qualidade do alimento baixou muito, o consumidor está pagando mais caro por um tomate não muito atrativo. A pesquisa também mostra ainda que a batata sofreu reajuste de 86,51% e a farinha de 140,57%.

Segundo a gerente Maria Lima, apesar do preço alto, o tomate não pode faltar nas compras, tendo que adquiri-lo mesmo com um preço elevado. "Não bastasse o aumento, os tomates não têm qualidade, na hora das compras pesquiso bastante, mas os preços estão altos em todos os estabelecimentos", disse .

A justificativa do aumento é a longa estiagem, que tem afetado a produção destes alimentos. O estudante Gustavo Rodrolli, que mora sozinho, não está consumindo tomate como antes. "Os preços do tomate e da cebola estão altos demais, não estou comprando a mesma quantidade de antes, até porque moro sozinho e estes alimentos apodrecem muito rápido", comentou.

Os donos de restaurantes também estão sofrendo com os novos preços, principalmente os especializados em comida italiana, que exigem tomate para os molhos. Segundo o chefe de cozinha, Enrico Zazzaroni, até o tomate enlatado, que é fabricado na Itália, teve o preço reajustado.

"Primeiramente a qualidade está péssima, e no meu caso, que preciso de tomate importado, o aumento é injustificável. O Brasil está passando por estiagem, e o produtor precisa vender o tomate, mesmo com péssima qualidade, mas no meu caso, acredito que os donos de supermercados aproveitaram este reajuste para elevar o preço dos tomates importados", reclamou o chefe de cozinha.

Fonte: Gisele Alves e Gilson Rocha