Remédios genéricos têm preços que podem variar 952% em SP

O maior preço foi R$ 7,45 e o menor, R$ 1,20 - diferença de R$ 6,25


Preços de remédios genéricos variam até 952% em SP, diz Procon

Os preços de medicamentos genéricos vendidos em São Paulo variam até 951,69%, segundo pesquisa da Fundação Procon divulgado nesta segunda-feira (31). Enquanto o medicamento Diclofenaco Sódico (50 mg, 20 comprimidos) foi encontrado em um estabelecimento por R$ 9,36, em outro, saia por R$ 0,89, uma diferença de R$ 8,47 entre os dois locais.

Entre os medicamentos de referência, a maior diferença de preço (520,83%) foi vista no medicamento Propranolol Ayerst (Cloridrato de Propranolol), da Sigma Pharma (40 mg, 30 comprimidos). O maior preço foi R$ 7,45 e o menor, R$ 1,20 - diferença de R$ 6,25.

Na relação entre os preços médios dos genéricos com os de referência de mesma apresentação, foi verificada que, em média, os medicamentos genéricos são 58,47% mais baratos que os de referência.

"Por serem produzidos por diversos laboratórios, os medicamentos genéricos são, em geral, mais baratos. Mas é bom lembrar que um genérico de um mesmo laboratório também pode apresentar preços diferentes entre as drogarias/farmácias. Logo, é essencial a pesquisa de preços sempre aliada à recomendação e prescrição médica", orientou o Procon, por meio de nota.

Entre todos os locais pesquisados, do total dos itens comparados, o Walmart (zona sul) apresentou a maior quantidade de produtos com menor preço - 34 produtos dos 52 encontrados.

Fonte: g1, www.g1.com.br