Produção de castanha deve dobrar em 2014 no Piauí

Ainda não é possível saber a quantidade de castanha que será exportada

Neste ano, castanhas de caju produzidas no Estado do Piauí serão fornecidas para cidades sedes da Copa do Mundo.

Essa ação é realizada em parceria entre o programa Talentos do Brasil Rural, do Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Piauí (SEBRAE), e produtores locais.

Este programa do SEBRAE atua na capacitação, diagnóstico e na busca de melhorias, através de acompanhamentos, informações e cursos para produtores.

Ainda não é possível saber a quantidade de castanha que será exportada, já que essa ação ainda está em sua terceira etapa, a rodada de negócios.

Nesta fase, que acontecerá no final de abril e em maio, serão selados alguns acordos entre locais de venda, como restaurantes e hotéis, e produtores do Piauí.

De acordo com Jocidel Bezerra, diretor-presidente da COCAJUVI (Central de Cooperativas dos Cajucultores do Estado do Piauí), há dois anos que as safras estão em baixa, produzindo em torno de 30 toneladas do produto por ano.

A meta de Jocidel é que até o fim de 2014 se chegue a uma quantidade média de 50 a 60 toneladas por ano, ou seja, que a produção seja dobrada. Com isso, a produção irá aumentar significativamente nos próximos 60 dias nas produtoras de castanhas selecionadas pelo projeto, para que a demanda seja atendida neste período da Copa do Mundo.

Ainda, este período será propício para a divulgação de uma das riquezas piauienses, já que o produto terá consumidores de todo o mundo. ?Pela divulgação de nossas riquezas em projetos como esses, é possível incentivar o turismo.?, diz Geórgia Pádua, gerente da unidade de agronegócios do SEBRAE-PI.

Fonte: Nadja Uchôa