Produção de motocicletas registra alta de 11% em maio

Produção de motocicletas registra alta de 11% em maio

No mês, foram vendidas para as concessionárias 165.947 unidades

As fabricantes de motocicletas começam a recuperar o ritmo de produção com a volta do consumo. De acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), divulgados nesta quarta-feira (9), saíram das linhas de montagem 167.850 unidades no mês de maio. O aumento da produção é de 11,1% na comparação com abril, quando foram fabricadas 151.072 motos.

O crescimento na procura por motos foi registrado apenas no mercado interno. Em maio, foram vendidas para as concessionárias 165.947 unidades, o volume é 5,7% superior ao registrado no mês anterior.

Já as vendas das concessionárias para os consumidores tiveram alta de 0,59%, com 143.854 unidades emplacadas, de acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Por outro lado, as exportações do setor tiveram queda de 5,5% em maio. Ao todo, foram vendidas no mercado externo 5.013 motocicletas no período, contra 5.306 unidades em abril.

?Ainda não se pode comemorar os resultados, mas os números apontam indícios de crescimento, contudo é preciso aguardar o final do semestre para uma avaliação mais aprofundada?, afirmou em nota o presidente da Abraciclo, Jaime Teruo Matsui.

O setor se recupera de uma crise de crédito no mercado brasileiro de motos desencadeada pela crise financeira mundial, ao final de 2008. Como os bancos aumentaram as restrições de cadastro para a liberação de financiamentos, muitos consumidores não conseguiram crédito para a compra de motocicleta.

Por esse motivo, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil anunciaram no fim do ano passado crédito de R$ 3 bilhões para o financiamento de motocicletas de até 150 cc (cilindradas). Além de uma nova linha de crédito para motos, o governo pretendeu, com a medida, estimular a concorrência entre os bancos privados e, assim, facilitar a liberação de crédito para o consumidor.

Fonte: g1, www.g1.com.br