Produção industrial tem uma queda histórica em dezembro, afirma CNI

É a maior queda mensal desde o início da série história da pesquisa, em janeiro de 2010.

O índice de produção industrial, medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), caiu a 40,2 pontos em dezembro, diante dos 48,4 pontos de novembro, de acordo com a pesquisa mensal "Sondagem Industrial" divulgada nesta sexta-feira. É a maior queda mensal desde o início da série história da pesquisa, em janeiro de 2010.

O indicador varia de zero a 100 pontos, sendo que valores abaixo de 50 representam queda na produção em relação ao mês anterior. Em dezembro do ano passado, esse índice ficou em 41,2 pontos.

A queda, explicou em nota a CNI, se deve "ao fraco desempenho das grandes empresas". "O cenário causa preocupação, pois as grandes empresas são as forças motrizes das cadeias produtivas. Suas dificuldades podem vir a inibir a atividade de empresas de pequeno e médio porte nos próximos meses", disse a entidade patronal em nota.

A pesquisa da CNI foi feita com 1,853 mil empresas de todo o país entre os dias 6 e 16 de janeiro.

O indicador de nível de emprego na indústria também caiu, mas em menor proporção: foi de 46,4 pontos em dezembro, perante 48,4 pontos em novembro e 47,4 pontos em dezembro de 2012.

O percentual médio de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) caiu para 70% no mês passado, frente a 74% em novembro. Já em relação a dezembro de 2012, a UCI ficou estável.

O indicador relativo à utilização de capacidade efetiva-usual, que considera o UCI comum para o mês, fechou dezembro em 41,7 pontos, diante dos 45,4 pontos de novembro. Ou seja, a diferença entre a utilização da UCI em relação ao usual foi maior em dezembro do que em novembro.

Os estoques, por sua vez, diminuíram em dezembro. O índice de evolução de mercadorias estocadas ficou em 48,2 pontos em dezembro, o que representou uma baixa, já que o indicador está abaixo de 50 pontos. Em novembro, o indicador foi de 50,4 pontos.

Esse resultado se refletiu no indicador que mede os estoques efetivos em relação aos planejados pelos industriais. O indicador de estoques efetivos/usuais foi de 50,6 pontos no último mês, ante 50,7 pontos em novembro.

Fonte: UOL