Produtora quer dinheiro público para pagar evento católico de R$ 130 mi

Contratada para planejar e gerenciar o evento, a Dream Factory pretende arrecadar R$ 25 milhões em patrocínios de empresas privadas

A organização da Jornada Mundial da Juventude quer que o poder público banque parte dos R$ 130 milhões estimados como custo do encontro internacional de jovens católicos, com a presença do papa Francisco, que acontecerá em julho, no Rio.

Contratada para planejar e gerenciar o evento, a Dream Factory pretende arrecadar R$ 25 milhões em patrocínios de empresas privadas --já são nove as parcerias firmadas.

De acordo com Duda Magalhães, diretor da produtora, outros R$ 105 milhões seriam captados com licenciamento de produtos, doações de fiéis, e arrecadação com inscrições de peregrinos, além dos recursos públicos.

"O suporte público ainda vai ser firmado. Os valores estão sendo tratados e serão anunciados em breve", disse Magalhães, sem especificar quantias solicitadas.

O produtor da jornada também não disse quem é o representante do poder Executivo que se comprometeu a socorrer o orçamento da superprodução católica.

Procurada pela Folha, a prefeitura do Rio informou que não houve conversa com a produção a respeito de contribuição financeira.

Em nota, o governo estadual afirmou que vai fornecer passes de transporte para peregrinos no valor de R$ 26 milhões. O comunicado não mencionou outras eventuais participações nos custos da jornada.

Responsável pelo apoio ao evento na esfera federal, a Secretaria Geral da Presidência da República informou que "as despesas operacionais da Jornada Mundial da Juventude, tanto com o evento em si (palco, sonorização, infraestrutura do local etc.) como com os peregrinos (transporte, alimentação e hospedagem), são de responsabilidade da Igreja Católica".

PATROCÍNIOS PRIVADOS

Dos R$ 25 milhões que preveem captar em patrocínios, os produtores garantiram R$ 8 milhões em parcerias firmadas com nove empresas até o momento: os bancos Bradesco, Itaú e Santander, a universidade Estácio de Sá, além das empresas Ticket, TAM Viagens, Havas (operadora de turismo), Ferrero e Nestlé.

Segundo o produtor da Dream Factory, a exposição das marcas será realizada de maneira discreta.

"O ambiente religioso será respeitado. Obviamente, o palco usado para a missa do papa será preservado. Os patrocinadores estarão representados com muita discrição em outras áreas do evento", ressaltou Magalhães.

Em nota à Folha, a Nestlé informou que seus produtos serão comercializados nos pontos de vendas de alimentos vinculados à organização. Os kits de alimentação, elaborados para os peregrinos cadastrados na jornada, também vão incluir itens fabricados pela empresa.

Até a semana passada, o site da Jornada Mundial da Juventude registrava 200 mil peregrinos cadastrados. Cada inscrito vai pagar por um pacote, que varia entre R$ 106 e R$ 608. O valor mais alto inclui alojamento, transporte, alimentação, seguro e o kit peregrino (com itens como mochila e boné).

A expectativa dos produtores é alcançar a marca de 500 mil inscrições oficiais. São esperados 2,5 milhões de peregrinos nos seis dias da Jornada Mundial da Juventude, que será realizada entre 23 e 28 de julho.

Fonte: Folha