Produtos de higiene tamanho família criam economia de 20%

O cliente que adquiri esse tipo de mercadoria pode reduzir o valor total de suas compras em 20%, em média

Lotes com 24 rolos de papel higiênico, sabão em pó de três quilos e até anticéptico bucal de um litro. Os supermercados estão cheios de artigos de higiene tamanho família em suas prateleiras para a felicidade dos consumidores que adoram poupar tempo e dinheiro. O cliente que adquiri esse tipo de mercadoria pode reduzir o valor total de suas compras em 20%, em média, segundo o economista da Fundação Getulio Vargas (FGV) Andre Braz. Considerando apenas um item, a economia pode chegar a 50%.

A técnica em recursos humanos Renata Falcão, de 34 anos, sabe aproveitar as ofertas e consegue economizar um bom dinheirinho na hora de pagar a conta.

? Levo produtos não perecíveis como papel higiênico, sabão em pó e pasta de dente, em tamanhos grandes. Estoco tudo na despensa e uso ao longo do mês. Dessa forma, economizo tempo e dinheiro,pois não preciso fazer compras várias vezes na semana ? diz a moradora da Tijuca.

Um desinfetante de cinco litros sai por R$ 9,16, em média. A embalagem de dois litros custa R$ 4,50 no mesmo supermercado. Ou seja, quem leva o galão maior economiza R$ 2,09. O economista André Braz explica por que o consumidor que divide as compras com os amigos poupa muito mais.

? Comprar mercadoria tamanho família é vantagem quando se tem a certeza de que o produto será integralmente consumido antes do fim do prazo de validade. Se três famílias ? com hábitos de consumo similares ? forem às compras, elas farão boas economias.

O consumidor, porém, deve ficar atento. A dica da divisão de compras serve para mercadorias não perecíveis (que não se deterioram facilmente).

? Não é uma boa idéia comprar um pote gigante de maionese e dividir por muitas pessoas. Este produto estraga com facilidade. Uma vez aberto deve ser consumido rapidamente ? diz Braz.

O especialista em consumo faz outro alerta:

? Verifique a validade do item. Comprar e não utilizar tudo é desperdício. O cliente joga fora toda a economia feita na hora da compra.

Fonte: Extra