Resultados da necropsia de Michael Jackson devem demorar semanas, diz porta-voz

Winter indicou ainda que um informe preliminar sobre a causa da morte provavelmente será adiado até que sejam conhecidos os resultados das análises

O resultado final da necropsia de Michael Jackson poderá demorar de seis a oito semanas, afirmou nesta sexta-feira (26) um porta-voz do Instituto Médico Legal do condado de Los Angeles.

"Faremos exames toxicológicos e uma análise extensa que poderá levar até seis a oito semanas antes de termos os resultados finais", afirmou o porta-voz, Ed Winter.

Winter indicou ainda que um informe preliminar sobre a causa da morte provavelmente será adiado até que sejam conhecidos os resultados das análises.

"No entanto, gostaríamos que as pessoas soubessem que a análise será realizada esta manhã. Provavelmente, começará em poucos minutos", acrescentou.

O corpo do cantor Michael Jackson, que morreu nesta quinta-feira (25), aos 50 anos, deve passar por uma autópsia a partir das 11h desta sexta, em Los Angeles (15h de Brasília).

As autoridades locais tentam agora desvendar o que causou a morte do cantor. Umas das hipóteses levantadas é de Michael tenha abusado de medicamentos.

Michael morreu às 14h26 (18h26 de Brasília) desta quinta-feira (25) vítima de uma parada cardíaca. Socorrido por paramédicos de Los Angeles, ele passou por procedimentos de reanimação, mas os médicos não conseguiram salvá-lo. Ele tinha 50 anos, em uma vida marcada por sucessos, extravagâncias e casos de polícia.

A polícia de Los Angeles abriu uma investigação para esclarecer as circunstâncias que levaram à repentina morte do cantor, poucos minutos após seu internamento.

"Acredita-se que ele sofreu uma parada cardíaca em casa. Mas a causa da morte é desconhecida até que sejam divulgados os resultados da autópsia", disse o irmão de Michael, Jermaine.

Jackson teve vários episódios com drogas vendidas somente sob prescrição médica ao longo de sua carreira e vinha tomando remédios devido às lesões que sofria durante os ensaios para seu grande regresso artístico, disse Brian Oxman, advogado, porta-voz da família e amigo pessoal do artista.

Segundo ele, o uso destes medicamentos preocupava a família, já que vários membros do staff de Jackson tinham autorização para obter estas drogas. "Não conheço a causa de tudo isso, mas eu temia o caso. Isso é um claro resultado de abuso de medicamentos, a não ser que a causa seja outra", afirmou.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br