Saiba como planejar seus gastos para entrar "no azul" o ano novo de 2010

Muita gente já tomou esse susto: gastou todo o 13º salário em presentes de Natal

Ainda faltam mais de dois meses para 2010, mas já é hora de fazer ? e colocar em prática ? a primeira promessa de Ano-Novo: pôr as finanças pessoais em dia. A estratégia pode ajudar você a começar o próximo ano com o pé-direito, e não correndo atrás do prejuízo.

Muita gente já tomou esse susto: gastou todo o 13º salário em presentes de Natal e na viagem das férias, e deixou para pensar depois nas contas do começo de ano ? para só em janeiro perceber que não tinha folga no orçamento para bancar esses gastos.

?A gente sempre dá dicas sobre finanças pessoais mais em janeiro, quando as festas passaram, as pessoas já viajaram para a Disney no fim do ano. E esqueceram que tem que pagar os impostos, a matrícula da escola?, alerta Ricardo Araújo, professor de finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV).

PASSO-A-PASSO PARA UM 2010 SEM DÍVIDAS

Coloque no papel: renda, dívidas, gastos previstos.

Use o 13º e a restituição do IR para quitar dívidas e aproveite para negociar um desconto.

Separe o dinheiro para pagar as despesas de início de ano ? IPTU, IPVA e matrícula escolar, por exemplo.

Se puder, antecipe as compras de final de ano.

Se for viajar nas férias, reserve o passeio e comece a pagar com antecedência.

Planejamento

Por causa do Natal, dezembro é um mês que em geral ?pesa? no orçamento, mas os gastos de início de ano também não são poucos: IPTU, IPVA, matrícula, material escolar etc. E quem não tem um extra para esses gastos acaba se complicando. Para evitar que isso aconteça, a dica dos especialistas é uma só: planejamento.

O primeiro passo é tirar as finanças da UTI. Se este for seu caso, o 13º e a restituição do Imposto de Renda vêm a calhar. ?Para quem tem dívidas a vencer convém aproveitar para procurar entrar no próximo ano sem elas ou com dívidas pequenas. Apesar dos juros terem caído, não é situação confortável carregar isso?, diz Wilson Toshiro Nakamura, professor de administração e ciências contábeis da Universidade Mackenzie.

Coloque tudo no papel: a renda, as dívidas e os gastos previstos. ?Tem que fazer um orçamento de gastos obrigatórios, as despesas fixas que em geral ocorrem no início de cada ano. Depois de verificadas essas despesas é que se vai verificar se há sobra de caixa para fazer despesas supérfluas, como viagens?, ensina Araújo, da FGV.

?O ideal é manter uma reserva para pagar esses impostos e analisar se vale a pena pagar de forma antecipada, e não parcelar. Porque normalmente o desconto é convidativo?, diz Nakamura.

Para quem já estiver com o caixa saudável, dá para aproveitar o pouco tempo até o final do ano e fazer alguma economia, de acordo o professor do Mackenzie: ?Estamos em outubro ainda. Vale aproveitar, porque os preços tendem a subir mais para frente, e antecipar as compras de Natal e talvez o presente pra si próprio. As pessoas costumam esperar o fim do ano pra comprar uma TV, uma geladeira. Mas agora dá para negociar um desconto melhor."

O mesmo expediente vale para as viagens de fim de ano. ?Se tem um caixa tranquilo, dá para adiantar. Porque se você fizer uma reserva antecipada e pagar parcelado, você viaja já sem a maior parte da dívida. Se puder pagar à vista e com desconto, é interessante também?, aconselha o professor da FGV.

Fonte: g1, www.g1.com.br