Serviço sob medida é a aposta das lojas virtuais para atrair clientes

O consumidor pode deixar o produto com o seu jeito.

Vender e entregar no dia certo está se tornando pouco para novas lojas virtuais que buscam ampliar a experiência de compra na internet. Para encontrar espaço na rede, elas apostam em serviços sob medida e personalizados.


Serviço sob medida é a aposta das lojas virtuais para atrair clientes

O consumidor pode deixar o produto com o seu jeito, ter uma página desenvolvida especialmente para ele ou pode marcar horário para que seja feito um serviço ligado ao que está comprando.

Marcelo Azevedo, 39, é um dos empreendedores que buscam inovar para atrair os clientes. Em 2012, criou o Sua Lista Escolar (www.sualistaescolar.com.br ).

Na página, especializada em material escolar, o pai pode enviar a lista da escola. Em 24 horas, recebe uma página personalizada com opções para os itens da lista.

Outros clientes, com filhos no mesmo ano da mesma escola, podem acessar listas já cadastradas.

Azevedo conta que a ideia para o site veio da dificuldade que tinha para comprar, em lojas físicas, materiais mais inusitados --como palito de sorvete ou churrasco-- pedidos pela escola.

Ele diz que teve de investir R$ 200 mil para o desenvolvimento da plataforma virtual e da logística para entrega do produto. Diz que, com 1.500 listas cadastradas desde outubro de 2012, já teve retorno sobre o investimento.

"A gente tem grandes concorrentes, mas existem coisas que nós oferecemos ligadas à lista que eles não têm", diz Azevedo.

COMODIDADE

"Na busca por menores preços, as empresas deixam a desejar nos serviços", diz Alexandre Soncini, diretor de marketing e vendas da Vetex, empresa que oferece tecnologia para lojas virtuais.

Na avaliação do executivo da Vetex, o comércio virtual brasileiro ainda é muito focado em preço. Ele considera essa abordagem prejudicial ao e-commerce, que, na sua opinião, deveria focar em serviços e comodidade para o consumidor.

"Quem conseguir agregar mais comodidade para o cliente terá mais chance de sucesso. O cliente vai até topar pagar um pouco a mais", diz Soncini.

SOB MEDIDA

Outra tendência é a da customização. Há sites que oferecem a possibilidade de montar o produto como o cliente quiser, escolhendo modelo, cor e estampa.

"Não existe estoque. Não tenho como saber qual peça vou vender. Elas são feitas individualmente", diz Fabiany Lima, 32, sócia da Timolico, site de pijamas e moletons customizados que oferece 13 mil combinações de cores e modelos.

Assim como no caso de Azevedo, o negócio surgiu ao fazer compras de roupas para os filhos.

"Eu ia nas lojas e enfrentava dificuldade. Havia poucas opções de cores. Aí, quando queria duas no mesmo tamanho e na mesma cor, não conseguia", afirma Fabiany, mãe de gêmeos.

Com experiência de trabalho em outras start-ups, Fabiany criou a Timolico no ano passado.

Ela conta que visitantes que estão acostumadas a fazer compras em shoppings não perdem a oportunidade de testar as roupas no site.

"Algumas clientes passam 20 minutos testando combinações."

Fonte: Folha