Taxa básica de juros deve permanecer em 10,75%

Essa será a última reunião do Copom no ano com o presidente do BC Henrique Meirelles

O Copom (Comitê de Política Monetária) reúne-se nas próximas terça (6) e quarta-feira (7) pela última vez sob o comando do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

Deverá, conforme a visão amplamente majoritária do mercado financeiro, manter a taxa básica de juros, a Selic, nos atuais 10,75% ao ano.

Na semana passada, as apostas em alta da Selic já em dezembro estavam crescendo por conta dos recentes (e elevados) índices de preços, mas a decisão do Banco Central e do CMN (Conselho Monetário Nacional) de adotarem medidas para restringir o crédito a pessoas físicas e retirar R$ 61 bilhões de circulação da economia por meio da alta nos depósitos compulsórios derrubou as apostas, sancionando a tese de manutenção da Selic.

Foi certamente a última medida de impacto tomada por Meirelles, que sairá do BC com o presidente Lula. Em seu lugar assumirá Alexandre Tombini, já escolhido pela presidente eleita Dilma Rousseff.

Dono do recorde de permanência à frente do BC, Meirelles enfrentou pressões internas de petistas no início do primeiro governo de Lula para baixar os juros, principalmente pela ala comandada pelo ex-ministro José Dirceu. Mas ele não as aceitou.

Chegou a ser cobrado publicamente por isso pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante uma cerimônia no Palácio do Planalto.

- Presidente Lula, o Meirelles tem de baixar os juros.

Meirelles não respondeu. Com sua política, conseguiu manter a inflação sob controle.

Fonte: R7, www.r7.com