Taxa de desemprego recua para 5,3% em agosto, segundo IBGE

Taxa de desemprego recua para 5,3% em agosto, segundo IBGE

Uma pane no site do IBGE atrasou a divulgação on-line dos dados em 10 minutos hoje

A taxa de desemprego de agosto caiu para 5,3%, ante 5,4% registrados em julho, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Os dados dos meses de junho (5,9%) e julho só foram divulgados hoje porque a greve do instituto havia prejudicado a compilação dos dados.

Uma pane no site do IBGE atrasou a divulgação on-line dos dados em 10 minutos hoje. Procurado, o instituto informou que está apurando o motivo da pane.

Os dados são da PME (Pesquisa Mensal de Emprego), divulgada pelo IBGE nesta quinta-feira (20). O levantamento é realizado nas regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

No mês passado, houve queda também no percentual de desocupados na comparação com agosto de 2011, quando a taxa foi de 6%.

O contingente de desocupados foi estimado em 1,3 milhão de pessoas no mês passado e representa estabilidade na relação ao mês julho e queda de 10,6% frente a agosto de 2011 (menos 153 mil pessoas nessa condição, em 12 meses).

A população ocupada atingiu 23 milhões nas seis regiões, assinalando variação de 0,7% frente ao mês de julho. No confronto com agosto de 2011, foi verificado aumento de 1,5%, o que representou um adicional de 328 mil pessoas nesse contingente em 12 meses.

REGIÕES

Em São Paulo, a taxa de desemprego apresentou variação negativa de 0,1 ponto percentual em agosto (5,8%) na comparação com julho. Em outras quatro regiões metropolitanas -Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte e Rio de Janeiro--, o cenário também foi de estabilidade.

A exceção foi a região metropolitana de Recife, que apresentou alta de 6,5% para 6,7% na taxa de desocupação no mês de agosto em relação a julho.

RENDIMENTO

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores, apurado em agosto de 2012 em R$ 1.758,10, para o conjunto das seis regiões, aumentou 1,9% em relação a julho.

Na comparação com agosto de 2011 esta estimativa aumentou 2,3%.

A massa de rendimento médio real habitual dos ocupados, estimada em 40,7 bilhões em agosto de 2012, apresentou alta de 2,3% frente a julho. Em comparação com agosto de 2011 esta estimativa cresceu 3,6%.

Fonte: Folha.com