Teresina representa quase 50% dos empregos em call center no Brasil

Em Teresina, foram mais de 12,4 mil empregos registrados no setor.

Em meio às adversidades que o país enfrenta, Teresina continua se destacando pela contribuição positiva em pesquisas sobre geração e manutenção de empregos. E os postos de trabalho que mais cresceram foram nas operadoras de telemarketing atraídas para a capital por causa dos incentivos fiscais oferecidos pela Prefeitura. Em Teresina, foram mais de 12,4 mil empregos registrados no setor, representando 45,9% da soma do país inteiro.

Uma pesquisa divulgada na última segunda-feira (28) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mapeou mais de 600 profissões e identificou aquelas que cresceram mesmo em meio à atual crise econômica. Do total analisado, 140 setores (23,2%) registraram aumento líquido de vagas desde o início da recessão e um seleto grupo de 15 profissões se destacou com crescimento acima da média.

O estudo da CNC aponta que as vagas criadas para operadores de telemarketing somam 27,5 mil novos postos de emprego entre julho de 2014 e dezembro de 2015, ocupando a segunda posição da lista. “Deste total, em Teresina, foram mais de 12,4 mil empregos registrados, representando 45,9% da soma de todo o Brasil”, ressalta o secretário municipal do desenvolvimento econômico e turismo, Fábio Nery.

Atividade de Call Center impulsiona emprego em Teresina
Atividade de Call Center impulsiona emprego em Teresina

Outras atividades do setor terciário, como prestação de serviços de alimentação, saúde e cuidados pessoais, também figuram na lista das 15 profissões que resistem à crise. Este setor se destacou entre as profissões com maior empregabilidade, uma vez que estas atividades típicas da prestação de serviços figuram entre aquelas com maior geração de vagas.

O estudo também evidencia a predominância feminina em 10 das 15 profissões destacadas. É o caso das cuidadoras de crianças, jovens, adultos e idosos que representam 90,8% do total de profissionais em atuação nos segmentos analisados, deste total 66,6% são do sexo feminino. A pesquisa aponta também a idade média dos profissionais e revela que entre operadores de telemarketing predomina uma força de trabalho mais jovem – na faixa dos 18 aos 24 anos.

O secretário destaca que a Prefeitura de Teresina tem trabalhado para suprir a abrir novas oportunidades de empregos e qualificação, principalmente entre os jovens. “Desde 2013 foram criadas Leis de Incentivo, alterações de leis já existentes, convênios com instituições públicas e privadas, acordos de cooperação com órgãos federais e parcerias com outras secretarias e organizações. Assim, além dos empregos gerados no setor de call center, vários cursos de qualificação para outras áreas são ofertados pela Prefeitura e 16 mil pessoas já foram beneficiadas. Desse total, mais de 1.800 delas participaram de cursos na área do turismo e afins permitindo a possibilidade de trabalho em setores com necessidade de mão de obra qualificada”, enumera Fábio Nery.

Para ele, os dados positivos na geração e manutenção de empregos são resultado da implantação de políticas de planejamento, execução e avaliação de efeitos por parte da Prefeitura.  “É muito importante ter um planejamento orientado para beneficiar a sociedade. A política implantada pela Prefeitura conseguiu esse objetivo com a atração de investimento em empresas que pudessem contribuir em grande escala para geração de emprego e renda, que é o caso dos call center, além das parcerias para capacitar e profissionalizar jovens e adultos fora do mercado de trabalho. Teresina se destaca positivamente em relação a situação econômica do país porque a Prefeitura conseguiu criar esta política eficaz, comprovada através destes resultados”, disse.




Fonte: Ascom