Transações bancárias pela internet cresceram 14,4%

Número de contas de internet banking cresceu 9,1% em 2008

O volume de transações bancárias realizadas pela internet cresceu 14,4% em 2008, na comparação com o ano anterior, segundo pesquisa divulgada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) nesta quinta-feira (4).

No entanto, o caixa eletrônico foi o meio mais utilizado para transações bancárias em 2008, sendo responsável por um terço do total. Em segundo lugar aparece o internet banking, com 18% do total.

O consultor da Febraban Luís Marques de Azevedo diz que o sistema bancário pela internet no Brasil é um dos mais "ricos" em relação a alternativas de transações.

"Existem mais de 300 transações diferentes pelo internet banking. Você faz pagamentos federais, locais, estaduais, paga contas de luz, de telefone. Isso significa conexões com bancos de dados diferentes. É possível aplicar, resgatar, consultar, antes de fechar um crédito você pode fazer a simulação de pagamentos e de tamanho da prestação... Conseguiram colocar na máquina um volume de alternativas de transações muito grande", diz.

Contas acessadas pela internet

Já o número de contas de internet banking cresceu 9,1% na mesma comparação. A Febraban utilizou como critério para chegar a esse número as contas de pessoas físicas e jurídicas que foram acessadas ao menos uma vez a cada 90 dias.

Em 2008, chegava a 32,5 milhões a quantidade de contas de internet banking no país, contra 29,8 milhões em 2007. O número ainda é pequeno em relação ao total de contas correntes (125,7 milhões) e de poupança (92 milhões) existentes no país, ou seja, clientes em potencial para o uso do banco pela web. Para a Febraban, o acesso à internet ainda é o grande limitador da expansão do internet banking.

Em relação aos cartões de crédito, houve aumento de 19% em 2008. As transações com cartões aumentaram 16%, e o valor total de transações, 24%.

Cheques compensados

A pesquisa mostra duas tendências em queda: a de uso do call center e dos cheques. O atendimento por call center caiu 3,3% em 2008, na comparação com 2007, e o número de cheques compensados teve queda de 8,9%, representando 3,2% do total de transações bancárias de 2008.

A redução no uso do cheque vem desde 2000, quando foram compensados 2,6 bilhões de cheques. Em 2008, o número foi de 1,39 bilhão.

"Esse caminho para menor utilização do cheque é irreversível. Se você imaginar que daqui a três anos vai poder fazer pagamentos através de mobilidade, a necessidade de manipular papel moeda ou de emitir cheques de menor valor vai acabar. Não digo que vai morrer o cheque, mas é um instrumento que tem a tendência de ser cada vez menos expressivo", diz o consultor da Febraban.

A pesquisa também registrou um aumento de 107,9% no número de caixas adaptados para pessoas com deficiência. Em 2008, eram 35.059 terminais, contra 16.864 em 2007.

Fonte: g1, www.g1.com.br