Turismo em alta faz empreendedores trocarem SE pelo NE

Turismo em alta faz empreendedores trocarem SE pelo NE

Empreendedores saem de estados como São Paulo e Rio de Janeiro e já vêem seu faturamento triplicar

A expansão das rotas turísticas no nordeste do país e o crescente número de turistas que escolhem a região como destino de viagem têm invertido o movimento de migração de pequenos empresários. Em busca de oportunidades de negócio, empreendedores saem de estados como São Paulo e Rio de Janeiro, mudam de atividade e já vêem seu faturamento triplicar.

A advogada Carina Thomaz Camara, 33 anos, trocou seu emprego em uma universidade em Araraquara, no interior de São Paulo, pela cidade litorânea de Parnaíba, no norte do Piauí. Com o marido, ela se mudou para a cidade, onde o pai tinha uma operadora de turismo e assumiu a administração da empresa, que registrou crescimento perto de 300% nos últimos três anos, graças à adoção de práticas de gestão mais econômicas.

?Achar mão de obra especializada aqui às vezes é meio difícil. Meu pai não conseguia cuidar de tudo sozinho. Foi quando tivemos a ideia de jogar tudo para o alto, eu e meu marido, e vir para cá. O turismo cresce muito, e a empresa estava sem condições de atender a essa demanda?, contou.

Com o projeto Rota das Emoções, que envolve passeios a destinos no Piauí, Maranhão e Ceará, organizado pelo Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e por prefeituras das cidades desses estados, as atenções dos turistas, que ficavam mais restritas aos Lençois Maranhenses, no Maranhão, e a Jericoacoara, no Ceará, passaram a se voltar para o Piauí, que tem o menor litoral do nordeste, com extensão de aproximadamente 66 quilômetros.

?[O turismo] começou a crescer muito desde que decidi vir para cá, e foi a melhor decisão que tomei. Trabalhava diretamente com o reitor da universidade, fui convidada a voltar várias vezes. Mas não troco isso aqui por São Paulo por nada. Foi difícil quando cheguei, engordei 20 quilos. A comida é forte, quis conhecer todos os restaurantes para saber o que oferecer aos clientes, de acordo com cada gosto... mas valeu a pena?, diz Carina.

Diante do crescimento de sua empresa, a Natur Turismo, a empresária decidiu investir mais na expansão dos negócios e ampliou sua frota de veículos off road e de lanchas para os passeios incluídos na Rota das Emoções. ?Mandei reformar barcos e comprei mais carros agora, na baixa temporada. E tudo isso foi com o crescimento da própria empresa. Não tirei dinheiro de outro lugar?, disse, satisfeita da escolha feita.

Os pacotes montados pela operadora variam de acordo com o pedido dos turistas, bem como os preços cobrados. Um roteiro para duas pessoas, por exemplo, de oito dias na região sai por cerca de R$ 4000. Porém, outro roteiro com maiores opções de passeio e hotéis mais requintados pode chegar a R$ 5.000 por pessoa.

Lina Marcia, dona do restaurante e pousada Casa de Caboclo, na Ilha das Canárias (MA). (Foto: Anay Cury/G1)Lina Marcia, dona do restaurante e pousada Casa

de Caboclo, na Ilha das Canárias (MA).

(Foto: Anay Cury/G1)

Em Parnaíba, além de conviver com os moradores da cidade, Carina também fez amizades com outras pessoas que saíram de seus estados em busca de oportunidades no Piauí. ?Muita gente tem vindo para cá. As pessoas estão de olho nessa região. É claro que muita coisa ainda precisa mudar, mas quem vem morar aqui tende a não se arrepender.?

Lina Marcia, 56 anos, também trocou de cidade, no caso, o Rio de Janeiro, pelas boas perspectivas do Nordeste do país. Enfermeira por formação, a hoje microempresária chegou ao Piauí há 11 anos e trabalhou por alguns anos na área da saúde. Depois de ter mudado de atividade, Lina está vendo seu negócio crescer de forma mais intensa no último ano. Dona do restaurante e pousada Casa de Cabloco, na Ilha das Canárias, no Delta do Parnaíba, Lina deu início à construção de mais espaço para hospedagem.

?Toda vez que chega alguém e não tem lugar, acabamos cedendo o espaço de onde moramos mesmo. Então, vai ficando cada vez menor, e a gente acaba tendo que ampliar sempre?, contou Lina, que mora com o filho no local e tem cerca de dez funcionários.

Rota das Emoções

De acordo com o Sebrae, grandes grupos hoteleiros estão programando a construção de hotéis no Nordeste devido à Copa do Mundo de 2014. Um grupo português e outro italiano se juntaram para erguer um empreendimento com 120 apartamentos em Parnaíba.

A escolha da localização é estratégica, já que o trabalho de organização e divulgação da Rota das Emoções foi intenso. Hoje, o roteiro contabiliza 267 meios de hospedagem, 241 locais de alimentação e 771 agências de receptivo do turismo. No ano passado, foram gerados cerca de R$ 3 milhões em negócios, segundo o Sebrae.

Números do setor

De acordo com levantamento do Ministério do Turismo,os desembarques nacionais saltaram de 23,9 milhões, em 2002, para 67,6 milhões em 2010. Só de 2009 para 2010, o crescimento foi de 20,82%. Atualmente, cerca de 7,2 milhões brasileiros trabalham nas chamadas Atividades Características do Turismo (ACTs), e a expectativa é de que haja aumento de 10% por ano, até 2014.

Fonte: g1, www.g1.com.br