Variação de preços chega a 18% na cesta de compras, revela pesquisa

Variação de preços chega a 18% na cesta de compras, revela pesquisa

A Pesquisa realizada pelo Jornal MN nas grandes redes vem sendo usada de forma positiva pelos leitores.

O teresinense que não pesquisa preços na hora de ir ao supermercado pode pagar bem mais caro pelo mesmo produto que é comercializado nos concorrentes.

Contudo, uma ação importante vem se tornando aliada de muitos consumidores na hora de conquistar economia e garantir preços baixos. A Pesquisa de Preços Semanal realizada pelo Jornal Meio Norte nas quatro grandes redes da capital piauiense vem sendo usada de forma positiva pelos leitores e formando novos hábitos de consumo.

?Antes eu fazia as compras no supermercado mais perto de casa, mas me cansei da desorganização e da falta de muitos produtos. Quando passei a acompanhar a pesquisa, vi que a diferença dos preços para alguns produtos era enorme e comecei a seguir os estabelecimentos citados na pesquisa?, revela a consumidora Marlete de Sousa, funcionária pública, que abordou a repórter pesquisadora para dar seu depoimento e parabenizar o jornal pela ação.

A observação da leitora do jornal é pertinente e o consumidor pode aproveitar a dica para direcionar as próximas compras. Algumas dicas importantes também podem ser observadas, como o fato de que o ideal é nunca ir às compras com fome ou comprar produtos perecíveis em grande quantidade para evitar que eles se estraguem antes de serem usados.

Outra dica dos economistas é que, em relação às carnes, variar a dieta optando por alternativos à carne bovina, como frango e peixe, ajuda. A pesquisa revelou que a diferença entre o estabelecimento mais caro e o mais barato chegou ao valor de R$ 46,03.

Sendo o Hiper Bompreço o mais vantajoso para o consumidor (R$ 261,19) e o Comercial Carvalho da Homero como o mais caro (R$ 307,22). Percentualmente, quem compra no Hiper Bompreço economiza cerca de 17,7% a mais do que quem opta pelo Carvalho da Homero.

A pesquisa dos atacados desta semana trouxe modificações em alguns produtos pesquisados, adicionando novos itens à lista e substituindo a gramatura de alguns. O objetivo é fazer com que a pesquisa se torne, gradualmente, mais variada, dando uma visão mais fiel dos preços ao consumidor.

Diversos produtos tiveram de ser excluídos da soma geral por não terem sido encontrados em todos os estabelecimentos. Alguns itens não figuram com a mesma marca em todos os atacadistas, mas nessas situações uma marca similar é registrada, para evitar penalizar ainda mais a soma.

O produto fécula de mandioca não foi encontrado em três dos atacadistas. Foi considerado então, na pesquisa, o produto Polvilho Doce - única opção encontrada nos demais locais em que a fécula não era oferecida.

Desta forma, entre os atacadistas, o Carvalho Mercadão aparece em primeiro lugar, com a soma de R$ 62,15. Em segundo vem o Atacadão Carrefour, com R$ 64,95. Logo depois é a vez do Maxxi, com R$ 67,39, e o Makro ficou em último lugar, totalizando R$ 68,51.







Fonte: Dowglas Lima