Veja as modificações no carro que não ajudam na revenda

Veja as modificações no carro que não ajudam na revenda

Sistema de som, cores berrantes ou rodas caras podem até baixar o preço de revenda

Assim como ocorre com casas, investir em melhorias no carro pode significar um retorno financeiro maior no momento da venda. A escolha das melhorias, porém, é mais delicada, pois o que parece um avanço para o atual dono pode significar apenas mau gosto para o futuro comprador. A ressalva vale especialmente para os adeptos do tunning, a prática de personalizar carros comerciais com características de veículos de corrida. Veja lista de modificações que só devem agregar valor para o atual dono:

Sistema de som: gastar milhares para colocar um sistema de som gigante no carro, ocupando todo o porta-mala, por exemplo, pode parecer uma boa ideia para o atual dono. No momento da venda, porém, será difícil achar um comprador disposto a pagar o montante a mais equivalente ao sistema. E como eles são adaptados ao veículo, podem ficar sem uso se o dono resolver vender apenas o automóvel.

Cores incomuns: tons como amarelos, laranjas e verdes não são tão populares como as cores tradicionais, como preto, vermelho e azul. Uma nova pintura é cara e isso pode acabar dificultando a venda.

Acabamento personalizado: colocar um banco de couro no carro agrega valor, mas quando o dono pensa em personalizar o estofado ou então o piso do carro, deve pensar se isso vai agradar o futuro comprador também.

Rodas muito caras: rodas de liga leve podem ser bonitas, mas há conjuntos que custam mais de R$ 5 mil. Um valor que o novo dono pode não estar disposto a pagar. Nesse caso, é possível vender as rodas separadamente, mas com certeza não será possível conseguir o valor pago na compra.

Fonte: Extra