Vendas de álcool no mercado brasileiro deverão bater recorde em 2008

O mercado brasileiro deverá atingir este ano 13,11 bilhões de litros

As vendas de álcool hidratado no mercado brasileiro deverão fechar o ano com novo recorde, acima dos volumes negociados nos anos 90. De acordo com o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), o mercado brasileiro deverá atingir este ano 13,11 bilhões de litros, 39,95% acima dos 9,367 bilhões de litros do ano passado e 16% a mais que os 11,3 bilhões de litros vendidos em 1990.

"Em 2008 houve uma venda de veículos novos em níveis inéditos, com reflexo direto nos volumes vendidos de álcool hidratado", afirmou o vice-presidente executivo do Sindicom, Alísio Vaz.

Vaz ressalta que as empresas afiliadas ao Sindicom não baterão o recorde de vendas de álcool. Dos 13,11 bilhões de litros estimados para o mercado nacional, o Sindicom responderá por 7,8 bilhões de litros de etanol hidratado, 49,36% acima do volume de 5,22 bilhões de litros do ano passado, mas ainda abaixo do recorde de 9,5 bilhões de litros alcançado nos anos de 1994 e 1995.

O executivo do Sindicom ressalta que os bons resultados de 2008 não aconteceram apenas nas vendas de álcool. Segundo Vaz, as vendas de óleo diesel também apresentarão recorde este ano.

"O ano foi excelente para a economia, o que reflete nas vendas de combustíveis. No caso do diesel, o bom resultado da indústria e das exportações tem ligação direta com as vendas do combustível", frisou Vaz.

A expectativa do Sindicom é de que sejam vendidos este ano 37,7 bilhões de litros de diesel pelas empresas afiliadas ao sindicato. O volume é 6,4% acima do observado no ano que vem. De acordo com Vaz, o patamar de crescimento deverá ser mantido em relação às vendas totais, que atingiram 41,558 bilhões de litros no ano passado.

A expectativa é semelhante para a gasolina C. As vendas dentro do Sindicom devem atingir 19,2 bilhões de litros este ano, volume 1,3% acima dos 18,902 bilhões de litros observados no ano passado. Neste caso, as vendas não deverão superar o volume negociado pelas empresas afiliadas ao sindicato em 1997, que foi de 19,988 bilhões.

Fonte: g1, www.g1.com.br