Redução de IPI ajudaram indústria a ter alta na produção, diz IBGE

Redução do IPI normalizou estoques e indústria farmacêutica se recuperou

As vendas de automóveis aumentaram em junho, impulsionadas pela redução do IPI, e conseguiram esvaziar os pátios das concessionárias, deixando os níveis de estoques normalizados.

Com isso, a indústria automobilística voltou a produzir, contribuindo para a leve alta de 0,2% que a produção industrial brasileira registrou no mês, em comparação ao mês de maio, explicou nesta quarta-feira (1º) o gerente da Coordenação de Indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), André Luiz Macedo.

Ele citou dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), que mostram que houve grande aumento no licenciamento de automóveis de maio para junho.

?Porém, o crescimento no setor de veículos automores (de 3% em junho comparado com maio) tem que ser relativizado, por que acontece sobre uma base depreciada em meses anteriores?, disse o pesquisador, referindo-se aos seguidos meses de queda na produção que o setor vinha registrando. Em maio, o segmento de veículos automotores registrou queda de 4,5% em relação a abril.

O setor farmacêutico, que também vinha mostrando queda, avançou 8,6% em junho, comparado a maio. Segundo o pesquisador, o setor é caracterizado pela volatilidade da produção, e pode ter tido avanços em junho devido a encomendas do governo.

?No setor farmacêutico, tem meses de produção maior, depois a indústria regula seu nível de produção. É uma atividade que trabalha com encomendas governamentais, tem uma relação importante com isso?, explicou.

Outro setor que voltou a produzir e contribuiu para o discreto avanço da produção industrial em junho foi o de equipamentos de transportes (12,5%), principalmente na indústria de aviões, que sofreu paralisações por férias.

"Comportamento bem menos dinâmico"

Segundo Macedo, apesar do leve avanço de 0,2%, a produção industrial ainda mostra comportamento pouco dinâmico e está abaixo de seu padrão.

?O sinal positivo não está disseminado em todos os setores, uma vez que, de 27 atividades pesquisadas, 15 mostram recuo na produção?, disse ele.

Segundo Macedo, o setor de bens intermediários, que registrou queda de 0,9% em junho em relação ao mesmo mês de 2011, apresenta quatro meses de resultados negativos, devido principalmente a paralisações técnicas para manutenção. Com isso, há redução da produção em segmentos importantes da indústria como no setor extrativo, na produção de pneus, na área do plástico e da celulose, que causa impactos negativos no resultado na indústria geral.

Fonte: G1