Vendas de supermercados sobem 4,9%

Faturamento das lojas e emprego cresceram frente a 2009; Copa elevou vendas de bebidas

As vendas nos supermercados cresceram 4,92% em junho, frente ao mesmo mês do ano passado. Segundo balanço divulgado nesta quinta-feira (29) pela Abras (Associação Brasileira de Supermercados), o faturamento cresceu e as lojas contrataram mais neste período.

Os produtos que mais aumentaram no mês passado foram as bebidas. As alcoólicas cresceram 15%, enquanto sucos, refrigerantes, águas e outras sem álcool subiram 10,9%. Parte do resultado se deve à Copa do Mundo.

O valor da cesta de 35 produtos considerados de largo consumo, como alimentos, limpeza e beleza, caiu de R$ 279,31 para R$ 275,91 entre maio e junho (-1,22%). Na comparação com junho de 2009, o valor da mesma cesta passou de R$ 265,57 para R$ 275,91 (3,89%).

Os produtos com maiores alta em junho ante maio foram farinha de mandioca (3,53%), xampu (3,34%) e queijo prato (3,23%). As maiores quedas no período ficaram com batata (-19,29%), tomate (-9,74%) e açúcar (-7,12%).

Também registraram crescimento as cestas de perecíveis (9%), limpeza caseira (6,2%), mercearia salgada (5,3%), higiene e beleza (3,7%), e mercearia doce (3,4%). A cesta "outros", que contém principalmente produtos de bazar, foi a única a ter queda no volume vendido, com recuo de 2,3%.

Menos dias úteis

Entre maio e junho, os negócios diminuíram 4,59%. Isso porque o mês passado teve menos dias úteis do que o anterior, como explica o presidente da Abras, Sussumu Honda.

- Enquanto o mês de maio contou com 31 dias e cinco finais de semana cheios, o mês de junho contou com 30 dias e quatro finais de semana.

No semestre, o volume das vendas nos supermercados entre janeiro e junho registra um crescimento de 6,5% em comparação a igual intervalo de 2009. O faturamento dos supermercados teve alta de 5,57% sobre igual período do ano passado.

Apesar disso, ele diz que o setor mantém bons índices de venda em decorrência da geração de empregos recorde no primeiro semestre e do crescimento da massa salarial do trabalhador.

Segundo a Abras, a massa de rendimentos ficou 0,5% maior do que a registrada em maio. Em relação a junho de 2009, a massa cresceu 6,7%.

A geração de empregos entre janeiro e junho bateu recorde: foram criados 1.473 milhão de postos de trabalho no período. No primeiro semestre do ano passado, o saldo era de 299.506 vagas.

Fonte: R7, www.r7.com