Vendas do comércio do Piauí crescem 4,7% em junho, diz Federação Varejista

Em relação ao varejo ampliado, 16 das 27 Unidades da Federação apresentaram taxas de desempenho positivas

Das 27 Unidades da Federação, 21 apresentaram resultados positivos na comparação entre junho de 2013 e junho de 2012, no que tange ao volume de vendas.

Os destaques em termos de variações positivas do volume de vendas foram: Mato Grosso do Sul (8,8%); Mato Grosso (7,5%); Paraíba (7,5%); Rondônia (6,9%) e Roraima (6,2%) - Gráfico 5.

Quanto à participação na composição da taxa do comércio Varejista, destacaram-se, pela ordem, São Paulo (2,1%); Paraná (5,0%); Rio de Janeiro (2,1%); Mato Grosso (7,5 %) e Mato Grosso do Sul com 8,8%, divulgou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em sua pesquisa mensal de comércio.

Em relação ao varejo ampliado, 16 das 27 Unidades da Federação apresentaram taxas de desempenho positivas. As maiores taxas no volume de vendas ocorreram em Mato Grosso (7,3%); Mato Grosso do Sul (5,4%); Piauí (4,7%); Amapá (3,7%) e Rondônia (3,7%).

Em termos de impacto no resultado global do setor, os destaques foram os Estados de Mato Grosso (7,3%); Mato Grosso do Sul (5,4%); Maranhão (3,5%); Piauí (4,7%) e Goiás com variação de 1,5%.

Ainda por Unidades da Federação, os resultados com ajuste sazonal para o volume de vendas apontam 19 Estados com variações positivas, na comparação mês/mês anterior, sendo os destaques: Amapá (3,3%); Pernambuco (2,2%); Piauí (1,8%); Mato Grosso do Sul (1,7%) e Distrito Federal, também com 1,7%.

Em junho, o comércio varejista do país registrou crescimento de 0,5% no volume de vendas e de 0,9% para a receita nominal, ambas as variações com relação ao mês anterior, ajustadas sazonalmente. Para o volume de vendas, trata-se do terceiro resultado positivo consecutivo e, para a receita nominal, representa o 13º mês de taxas positivas.

Quanto à média móvel, o volume de vendas obteve variação de 0,4%, enquanto a receita apresentou taxa de crescimento de 0,8%. Nas demais comparações, obtidas das séries originais (sem ajuste), o varejo nacional obteve, em termos de volume de vendas, acréscimos da ordem de 1,7% sobre junho do ano anterior e de 3,0% e 5,5% nos acumulados dos seis primeiros meses do ano e dos últimos 12 meses, respectivamente. Para os mesmos indicadores, a receita nominal de vendas apresentou taxas de variação de 9,9%, 11,3% e de 11,9%, respectivamente.

Fonte: Jornal Meio Norte