Vender no Facebook é alternativa para as pequenas empresas

A maior rede social do mundo também vem se tornando um ambiente atraente para pequenas empresas.

Não é preciso muito conhecimento sobre tecnologia e internet para perceber que o Facebook é a rede social do momento. E, mais do que um espaço para encontrar amigos e bater papo, a maior rede social do mundo também vem se tornando um ambiente atraente para pequenas empresas.

Com início da operação em agosto de 2011, a LikeStore é uma plataforma que permite a criação de uma loja virtual dentro da página do Facebook. "Eu e meus sócios percebemos que a venda de produtos e serviços ainda não era um nicho explorado no Brasil. Nos inspiramos em um modelo americano e vimos que comercializar pelo Facebook é viável, sim", explica Ricardo Grandinetti, sócio fundador e atual gerente de produtos do aplicativo.

A plataforma disponibiliza para o empreendedor dados sobre as vendas, como a quantidade de produto vendido e o controle de estoque. Os compradores podem efetuar o pagamento sem precisar sair do Facebook, por meio de um sistema online que permite pagamentos em cartão de débito, de crédito e boleto. O MoIP, aplicativo responsável por estas transações usado pela LikeStore, garante que nem o vendedor nem o comprador saiam prejudicados.

Um estudo divulgado em maio pela consultoria Social Baker mostra que o Brasil ultrapassou a Índia e se tornou o segundo país com maior número de usuários no Facebook - são 46,3 milhões de brasileiros com perfis na rede - atrás somente dos Estados Unidos, que tem 157,2 milhões de usuários. Ao todo, 900 milhões de pessoas têm perfis.

Entre os benefícios para os empreendedores que vendem pela rede social, Ricardo cita o nível de intensidade com o que o usuário brasileiro acessa a rede. "Somos o povo que passa mais tempo conectado no Facebook. Além disso, enquanto a média mundial é de 130 amigos, a do brasileiro é de 230", diz.

Por isso, vender pela rede significa alcançar um número elevado de pessoas, uma vez que, quando o internauta compra o produto da loja virtual, automaticamente isso vai para a sua timeline - e todos os seus amigos tomam conhecimento da compra. "Pela simplicidade da comercialização, que não precisa de cadastro, o Facebook é um espaço onde as pessoas compram por impulso. E isso é bom para as vendas", opina Ricardo.

Atualmente, a LikeStore possui 6719 lojas funcionando. Os empreendedores pagam uma taxa de 2% sobre o valor de cada produto vendido na empresa. Na opinião de Ricardo, alguns ramos "combinam mais¿ com o Facebook do que outros. ¿"ojas que tenham uma pegada mais jovem ou que comercializem artigos de nicho são mais pertinentes", afirma. Isso porque esta rede social é essencialmente formada por jovens, faixa etária que está interessada em novidades e produtos personalizados.

Empresa vende camisetas de banda no Facebook

Há três anos, Eric Cunha fundou a empresa Domination Merch, que comercializa camisetas de banda. Ate dezembro de 2011, a venda era feita durante os shows e também por um site. "Foi quando conheci o modelo da LikeStore e vi que vender no Facebook poderia ser mais vantajoso".

A escolha aconteceu por dois motivos. Primeiro, pela maior visibilidade do produto, já que as vendas ficam registradas na timeline do comprador. "Antes eu tinha o site de e-commerce, mas precisava também do Facebook para divulgar. Agora ficou mais prático", diz. Segundo, pela economia de custos. ¿Eu tinha de pagar mensalidade pela hospedagem do site e pelo domínio", explica.

Mesmo com as vantagens do Facebook, Eric conta que também acha importante ter um site de e-commerce próprio, já que nele o empreendedor pode colocar a identidade da sua marca. "No Face seguimos um padrão", esclarece.

Eric afirma que recebe apoio tanto da LikeStore quanto do próprio Facebook. "Eles me ligam para dar consultoria sobre a melhor maneira de anunciar na rede", exemplifica.

Fonte: Terra