Vitrines atrativas aumentam vendas, afirma pesquisa realizada pelo Sebrae

Pesquisa aponta que melhorias no aspecto visual da loja podem ampliar as vendas de 12% a 40%. Por isso os lojistas investem na plástica dos espaços

A primeira impressão é a que fica e também pode atrair muitos clientes e resultar em boas vendas. Pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de São Paulo aponta que melhorias no aspecto visual da loja podem ampliar as vendas de 12% a 40%. Para garantir que as vitrines sejam atrativas e chamativas aos olhos de clientes existem profissionais especializados que ensinam os modelos de vitrines adequados para cada tipo de público. São os consultoras de vitrines.

É o caso da consultora do SEBRAE Claudilene Pontes de Macedo, que trabalha com o conceito do visual merchandising, que é a técnica de trabalhar o ambiente de loja, trabalhando a identidade e personalidade através de uma exposição que consiga transmitir aos clientes a identificação de moda de forma clara.

?A vitrine faz uma promessa que precisa ser cumprida quando o cliente entra na loja. Tem que ter harmonia e comunicação entre a vitrine e o restante da loja. Uma boa vitrine é uma importante ferramenta de marketing e impulsionadora de vendas. Não existe um padrão, cada loja deve ser analisada de acordo com sua identidade para o planejamento da vitrine?, declara Claudilene.

Ela pontua que uma vitrine deve chamar a atenção e despertar o interesse em 30 segundos, que são fundamentais para induzir a entrada do cliente para dentro da loja. Também deve ser renovada com frequência, proporcionando harmonia entre os itens expostos. Além disso é interessante que seja temática, sempre que possível.

Claudilene ressalta que alguns fatores devem ser pensados na hora de montar a vitrine e toda ambientação de uma loja. Dentre eles a iluminação, disposição de produtos, móveis, equipamentos, precificação dos produtos, música ambiente, climatização, limpeza, provadores, dentre outros espaços que merecem cuidados e determinarão se o consumidor vai efetivar a compra e mais, se vai retornar à loja.

Natal e Réveillon estão chegando e as lojas devem se dedicar a apresentar vitrines atrativas. Afinal este é o período mais lucrativo do ano. A época é ideal para dar uma guinada nos negócios e na vitrine. Tanto o período natalino, quanto da virada carregam uma série de elementos que podem colaborar com a decoração, trazendo olhares e compras dos clientes.

Para esta época ela explica que é possível inovar de acordo com a identidade visual da empresa. ?O vermelho e o verde remetem a tràdição, mas hoje já podemos lançar mão de outras cores de acordo com a intenção e o tipo de estabelecimento?, destaca Claudilene e acrescenta que é importante pensar na maneira que os preços serão expostos. ?Hoje é lei expor os preços, eles devem ser expostos em plaquetas adequadas e que não prejudiquem o visual da vitrine?, explica.

Dicas para manter a vitrine atraente

Além de bonitas, as vitrines devem estar sempre atualizadas com as novidades e produtos da loja. É o que prega a gerente de uma loja de roupas, Tatiana Nogueira. ?É essencial ter sempre, a cada 10 dias, novidades pra colocar na vitrine. Algumas lojas, principalmente as franquias, seguem um padrão, onde a cada 10 dias são enviadas fotos de sugestões para vitrine, mas existe também o bom senso e o conhecimento da gerência para colocar aquilo que temos na loja.

A principal função das vitrines é vender e informar!

Segundo ela a iluminação é algo fundamental para destacar uma vitrine. ?Na vitrine tudo é válido, todos os materiais são bem utilizados, desde que tenha a ver com o tema proposto pela coleção ou peça loja. Mas de fato a iluminação é algo primordial, ela é quem destaca as peças, os manequins e LED é sim a tendência do momento, sem falar dos seus benefícios econômicos. Uma vitrine bem iluminada e bem elaborada com certeza chama muita atenção?, afirma.

Tatiana destaca que cada loja tem sua própria decoração, porque muitas são franquias e elas estão cada vez mais investindo em vitrines que chamam a atenção dos produtos, mas nada muito chamativo, o simples sempre é mais notado. ?O que tenho mais observado são vitrines mais clean e com decorações mais sutis, mas cheias de criatividade e bom gosto, onde o foco é realmente o produto?, analisa.

Para ela é preciso diversificar e prestar atenção na reação dos clientes diante da vitrine. ?O que me inspira é uma vitrine colorida, divertida, de bom gosto e cheia de bossa e mais que eu faça e logo haja o termômetro que é os clientes parando na frente e entrando pra perguntar o preço... Aí sei que acertei em cheio. Clientes gostam de looks diferentes de peças que chamem a atenção, bonitas e com preço bacana?, avalia.

Exibição de preços ajuda clientela

Para não ter problemas com os clientes é importante também ficar atento para a disposição dos preços dos produtos que estão expostos na vitrine. O Código de Defesa do Consumidor (CDC) determina que o preço deve ser exposto diretamente na peça a que se refere. Porém, há lojas que não cumprem o disposto no artigo 31 do CDC.

Algumas lojas, inclusive, disponibilizam os preços numa tabela única exposta na vitrine, o que é considerado irregular. O Código adverte que as informações devem ser corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa. Deve descrever características, qualidades, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre os riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores.

Tais irregularidades podem incidir um auto de infração e consequentemente instauração de um processo administrativo. Além disso, o descumprimento da lei pode acarretar aplicação de penalidades como multas, cassação do alvará de funcionamento e interdição.

Os preços devem ser expostos na própria mercadoria, nas prateleiras e expositores, de forma totalmente legível. É importante destacar as condições de pagamento, prazos, parcelas, taxa de juros usada e o preço à vista. Produtos sem preço não vendem e ainda expõem a empresa a penalidades previstas no Código do Consumidor.

Vale lembrar que nem sempre os preços prevalecem na escolha do consumidor e por esta razão colocá-los na vitrine jamais espantará a clientela, pelos menos aquela que está realmente interessada em comprar.

Fonte: Vicente de Paula