Volkswagen anuncia investimento de R$ 6,2 bilhões no Brasil até a Copa de 2014

A Volkswagen decidiu antecipar os novos investimentos, que só seria aplicado a partir de 2011

A montadora Volkswagen anunciou nesta quinta-feira (16), um programa de investimentos no Brasil no valor de R$ 6,2 bilhões até 2014. Entre as ações previstas pela companhia está o patrocínio da Seleção Brasileira de Futebol até 2014, quando o Brasil sediará o evento.

A Volkswagen decidiu antecipar os novos investimentos, que só seria aplicado a partir de 2011, quando terminaria o plano antido de investimentos, de R$ 3,2 bilhões, que iniciou em 2007. Com a forte resposta do mercado nacional diante da crise, a montadora alemã acelerou as metas.

De acordo com o presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall, do total investido, 40% será para ampliação da produção da fábrica de Taubaté (SP), São Carlos (SP) e São Bernardo do Campo (SP). O restante será para o desenvolvimento de novos produtos.

Segundo Schmall, para o próximo ano estão previstos 13 novos veículos. ?Um terço será de veículos comerciais leves?, disse o presidente sobre a aposta em picapes para tirar a liderança da Fiat.

Schmall afirma que 50% do investimento virá diretamente da matriz. O restante será por meio de financiamento que a matriz alemã conseguirá.

Por enquanto, a Volks não fará novas contratações. Segundo o executivo, neste ano já foram contratados 1,2 mil funcionários e admitidos 1,6 mil funcionários temporários.

O montante investido no Brasil servirá para a produção da montadora atingir o nível de 1 milhão de unidades até 2014. Fortalecer as operações brasileiras será importante para o grupo Volkswagen desbancar a Toyota em vendas em 2018 e atingir a liderança mundial.

Para os fornecedores conseguirem acompanhar a expansão da montadora, a Volkswagen criou um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FDIC), que financiará os investimentos de tais empresas. No caso, a própria venda de componentes é que garante o lastro da operação, gerenciada pelo Bank of New York Mellon. O valor disponível para esta operação é de R$ 600 milhões.

Na disputa pela liderança de mercado com a Fiat no Brasil, a Volks apresentou este ano 16 modelos, incluindo adaptações em versões existentes. De janeiro a outubro, as vendas da Volks cresceram 13%, enquanto o mercado brasileiro avançou 6,1%. A renovação do modelo Gol é apontada pela empresa como a principal estratégia de produto para crescer em participação de mercado, mas a Volks já prepara o lançamento de uma nova picape para aumentar as vendas no segmento de comerciais leves.

Liderança

Entre janeiro e outubro deste ano, a Volkswagen manteve a liderança nas vendas de automóveis com 25.54% de participação do mercado. Em segundo lugar ficou a Fiat com 24,97%, seguida da GM (20,26%), Ford (9,52%), Honda (4,72%), Renault (4,56%), Peugeot (3,22%), Citroën (2,76%), Toyota (2,12%) e Hyundai (0,7%).

Já nos emplacamentos de comerciais leves, a Fiat disparou na liderança com 22,25% de fatia no mercado nacional. A segunda colocada é a General Motors com 17,69% de market share, seguida da Ford (13,37%), Volkswagen (10,85%), Hyundai (9,30%), Toyota (7,03%), Mitsubishi (6,98%), Kia (2,71%), Honda (2,17%) e Nissan (1,42%).

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br