Vulcão causa perda de R$ 4 bilhões ao turismo na Europa

Vulcão causa perda de R$ 4 bilhões ao turismo na Europa

Perdas diárias devido aos efeitos do caos aéreo na Europa estão em R$ 939 milhões

Impacto dos cancelamentos de voos na Europa sobre as companhias aéreas já supera o do 11 de Setembro; vulcão islandês continua em atividade As perdas para o setor turístico europeu causadas pela erupção do vulcão islandês, que paralisou o tráfego aéreo, passam de R$ 4 bilhões (US$ 2,3 bilhões), estimou nesta sexta-feira (23), em Madri (Espanha), o secretário-geral da OMT (Organização Mundial de Turismo), Taleb Rifai. Segundo ele, as perdas diárias para o turismo devido aos efeitos da paralisação dos vôos estão em R$ 939 milhões (US$ 400 milhões). Na quarta-feira (21) a Iata (Associação Internacional do Transporte Aéreo, na sigla em inglês) previu que pode chegar a R$ 2,9 bilhões (US$ 1,7 bilhão) o prejuízo causado pelo fechamento de aeroportos e cancelamento de milhares de voos na Europa desde o último dia 15. A estimativa é de que as principais companhias aéreas europeias deixaram de faturar R$ 700 milhões (US$ 400 milhões) por dia com o caos aéreo. Na segunda-feira (19) o presidente da Iata, Giovanni Bisignani, disse que o impacto dos cancelamentos de voos sobre os resultados das empresas já supera o do 11 de Setembro, quando o espaço aéreo dos Estados Unidos ficou fechado por três dias. A Eurocontrol (Organização Europeia pela Segurança do Tráfego Aéreo) informou que entre 28 mil e 29 mil voos são esperados para toda a Europa nesta sexta-feira. A margem é a considerada normal para o continente, que alcança o seu segundo dia consecutivo de operações normais depois de oito dias de caos aéreo, causado pela erupção do vulcão Eyjafjallajökull na Islândia. A agência de meteorologia britânica Met Office divulgou imagens de satélite na manhã desta sexta que mostram o aumento da concentração de cinzas vulcânicas sobre a Islândia, o que levou ao fechamento, pela primeira vez desde o início da crise, dos aeroportos islandeses de Keflavik e Reykiavik. Embora o vulcão estivesse em seu território, o país ainda não havia tido problemas com seu espaço aéreo.

Fonte: r7