Efrém é agredido por fotógrafo no centro de Teresina

Efrém é agredido por fotógrafo no centro de Teresina

Efrém é um profissional incansável, um repórter que trabalha dia e noite na busca pelas informações

O jornalista Efrém Ribeiro vem sofrendo constantemente agressões de profissionais da mesma área durante coberturas jornalísticas em Teresina. Na manhã desta segunda-feira (16), em um evento em praça pública, o fotógrafo Thiago Amaral do Portal Cidade Verde o agrediu com uma pancada na cabeça. Segundo o jornalista, não foi a primeira vez que isso aconteceu. Em outra ocasião, na sede do SESC em Teresina, o jornalista Francisco Magalhães, também do Portal Cidade Verde, agrediu Efrém com um empurrão, quebrando o seu notebook.

" Isso já vem acontecendo há muito tempo. Foi assim na cobertura das eleições, em eventos do Governo do Estado, na sede da Polícia Federal e agora em praça pública durante a cerimônia de assinatura de união homoafetiva. Eu pensava que isso acontecia por falta de espaço em algumas ocasiões, mas em uma praça é surpreendente", disse Efrém bastante decepcionado com o ocorrido.

A equipe de profissionais da Rede Meio Norte também fazia cobertura e presenciou a agressão. A jornalista Cínthia Lages estava no momento e lamenta pelo companheiro de profissão. " O Efrém é um profissional completo. Ele é único. É um repórter como poucos no Brasil e no Piauí, o único. Tem uma visão e conhece muito da área, lê muito, consegue se antecipar aos fatos e repassa as informações com precisão e exclusividade. O Efrém criou o seu estilo e adquiriu a imagem de bom profissional ao longo dos tempos. O respeito é essencial em nossa profissão, mas agressão, é imperdoável", declarou a jornalista Cínthia Lages.

Efrém Ribeiro é um profissional incansável, um repórter que trabalha dia e noite na busca pelas informações para seus leitores, internautas e telespectadores. Essa dedicação tem incomodado bastante. " Procuro fazer meu trabalho de forma séria e honesta. Nunca revidei e reagi aos que me agridem. Não vejo razões para me agredir. Isso só pode ser inveja pelo trabalho que desempenho", finalizou o Doutorzinho.













Fonte: Marcos Moraes