"Ele está fazendo esforço", afirma padre Antônio Maria após visitar Pedro em Hospital

"Ele está fazendo esforço", afirma padre Antônio Maria após visitar Pedro em Hospital

Religioso esteve nesta segunda (30) na UTI e disse ter cantado Ave-Maria

Cerca de uma hora após o médico que coordena o atendimento ao cantor Pedro Leonardo conversar com jornalistas em São Paulo, padre Antônio Maria deixou o Hospital Sírio-Libanês e disse ter visitado o paciente. "Ele está fazendo um esforço, a gente sente. Eu digo, "Pedro, aperta a minha mão", e ele fazia esforço, não só para apertar minha mão, mas parece que ele queria sair de um sono. Ele está entendendo. Com certeza está ouvindo", afirmou o padre.

Contando ser amigo da família, Padre Antônio Maria disse ter tido a chance de cantar Ave-Maria ao lado da cama de Pedro na UTI. A impressão que o paciente deixou no religioso foi positiva. "Ele está com um bom aspecto, nem parece doente. Com toda certeza, ele sairá dessa", disse, completando que, para ele, Pedro é como se fosse um "sobrinho".

A visita do padre ocorreu após o médico Roberto Kalil Filho apresentar um detalhamento do boletim médico divulgado nesta manhã. Segundo Kalil, a reação motora a estímulos apresentada nas últimas horas não significa que o paciente esteja consciente. De acordo com o boletim, Pedro "apresentou resposta motora aos estímulos dolorosos e sinais de preservação dos reflexos do tronco cerebral".

"Há dois dias a equipe de neurologia suspendeu a sedação e ele começa a apresentar alguns reflexos ao exame clínico-neurológico. Esses reflexos são, evidentemente, uma evolução positiva, porém ainda limitada. Há ainda sedativos na circulação. Temos que aguardar", explicou Kalil.

Pedro está internado em estado grave, porém estável na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital. Segundo Kalil, ele ainda corre risco de morte. O médico disse não ser possível precisar em quanto tempo o sedativo será eliminado. A grande quantidade de medicamentos aplicada em Pedro ainda está em circulação na corrente sanguínea e o quadro de insuficiência renal dificulta a eliminação do sedativo.

"A resposta aos estímulos não significa consciência", frisou Kalil. De acordo com o médico, Pedro pode demorar a acordar. Ele afirma que isso depende de paciente para paciente e do grau da lesão cerebral.

Quando o efeito dos remédios tiver passado, os médicos poderão avaliar possíveis consequências do acidente no cérebro do cantor. Ele sofreu um acidente de carro no dia 20 de abril, quando ele voltava de um show em Minas Gerais. Pedro ainda respira com a ajuda de aparelhos.

No domingo, Pedro recebeu a visita da mulher e do pai, o cantor Leonardo. Fãs também passaram o dia na porta do hospital. Durante entrevista ao Domingão do Faustão, Leonardo agradeceu aos fãs pela torcida pela recuperação do filho.

Fonte: G1