"Ele está traumatizado, foi um pesadelo", diz mulher de Oscar sobre evento

A diretora da faculdade particular Pollyana Lima informou, por telefone, que o motorista que iria buscar Oscar no hotel realmente atrasou.

Maria Cristina Victorino Schmidt, esposa e secretária do ex-jogador da Seleção Brasileira de Basquete Oscar Schmidt, 56 anos, falou nesta sexta-feira (21) sobre a polêmica envolvendo o ex-atleta durante palestra realizada no último domingo (16) em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Ela afirmou que Oscar ficou esperando por mais de uma hora em um hotel da cidade e que a produção não ofereceu os equipamentos necessários para o evento. “Tudo poderia ter sido diferente se eles fossem pontuais”, ressaltou.

Oscar chegou a ser vaiado durante palestra em Caruaru e xingou a plateia com palavrões. Mais de dois mil alunos de uma faculdade particular do interior pernambucano estiveram presentes no evento realizado em um shopping center da cidade. A palestra malsucedida repercutiu negativamente nas redes sociais e o jogador foi alvo de críticas.

Maria Cristina disse que a palestra estava marcada para as 16h e que a equipe da faculdade iria pegar Oscar às 15h45. “Nós ficamos na frente do hotel conversando com três pessoas. Quando o motorista veio chegar, já eram 17h. A palestra começou mais de 18h. Tinha gente que estava esperando desde 13h30 no local. Não havia telões para quem estava atrás, apenas uma foto do Oscar. Quando começou a  palestra, o equipamento começou a dar problema”, detalhou.

Ela contou também que as pessoas começaram a ficar com raiva e ir embora, culpando o ex-jogador pelo atraso da palestra. “Pergunta se ele atrasou em um outra palestra? Ele fez 720 palestras em um ano, seis somente na semana passada, e em nenhuma ele chegou atrasado ou houve reclamação. Oscar sempre chega 15 minutos antes, conversa com o responsável pelo evento, equipamento e som. Eu juro que ele não xingou ninguém. Os palavrões fazem parte da palestra e do vocabulário dele. Atleta chama palavrão.”

Maria Cristina disse ainda que o atleta está triste com a repercussão do caso nas redes sociais. “As pessoas não têm ideia do dano psicológico que isso causa. Estou traumatizada. Ninguém estava prestando atenção na palestra. Ele ameaçou ir embora. Estava sendo um martírio. Oscar saiu arrasado de Caruaru. Foi um pesadelo”, comentou.

Para a esposa do ex-jogador, faltou sensibilidade do público que estava assistindo à palestra. “O povo que foi embora é sem sentimento. Como o Oscar costuma dizer: Se tivesse cerveja, axé e mulher, todo mundo tinha ficado. Ninguém estava ali para assistir uma palestra séria, parecia uma festa. Encheram o camarim de gente”. Ela contou ainda que se sente arrependida de ter aceitado a palestra em Caruaru. “O sentimento é de tristeza. Me pergunto porque fiz o Oscar passar por isso; sou eu quem agendo os compromissos dele. Ficou um trauma para mim e para ele. Mais que um atleta, o Oscar é um senhor de bem”, finalizou.

A diretora da faculdade particular Pollyana Lima informou, por telefone, que o motorista que iria buscar Oscar no hotel realmente atrasou, mas que este não teria sido o motivo dos problemas na palestra. Segundo ela, “foi uma decisão de faculdade pegar ele mais tarde, para não deixá-lo esperando no auditório, já que o evento todo estava atrasado”. Ainda segundo a diretora, o equipamento de Oscar não era compatível com o do evento.

Além do cachê de R$ 40 mil de Oscar, a direção da faculdade estima gastos de R$ 80 mil com locação de espaço, publicidade e demais despesas com o ex-jogador, como passagens aéreas, alimentação e transporte.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Uol