Após 20 anos, Rafael Greca vence em Curitiba com 53,26% dos votos

No primeiro turno, Greca obteve 38,38% dos votos.

O candidato do PMN, Rafael Greca foi eleito prefeito de Curitiba neste domingo (30). Ele venceu Ney Leprevost (PSD), no segundo turno da eleição municipal, e deve assumir o cargo em janeiro de 2017. No primeiro turno, Greca obteve 38,38% dos votos, e Ney, 23,66%.

A votação terminou às 17h e às 17h31, o moradores de Curitiba já sabiam oficialmente o nome do novo prefeito.

Sobre Rafael Greca


A primeira vez que Rafael Greca foi prefeito de Curitiba foi entre 1993 e 1996. Ele também ocupou os cargos de vereador, deputado estadual, deputado federal, secretário estadual e ministro.

Para este mandato, o vice de Greca será Eduardo Pimentel (PSDB). O prefeito eleito é engenheiro e servidor aposentado pelo Instituto de Pesquisa Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC). Greca nasceu em Curitiba em 1956.

Rafael Greca (PMN) (Crédito: Reprodução)
Rafael Greca (PMN) (Crédito: Reprodução)


Propostas


Durante a campanha, o candidato afirmou em programas eleitorais, entrevistas e debates que pretende tornar o atendimento na saúde pública municipal mais eficiente. Uma das propostas, que segundo ele, pode ser concretizada em 180 dias, é implantar um modelo de agendamento nos posto de saúde que fará com que as pessoas não precisem passar a madruga na fila para conseguir consulta.

Em dois anos, afirma Greca no plano de governo, pretende criar o Centro de Especialidades Metropolitano no Portão, garantindo consultas especializadas com cardiologistas, endocrinologistas, geriatras , por exemplo, e equipe multidisciplinar.

Quando falava em mobilidade urbana, Greca era enfático ao afirmar que vai retornar a integração do transporte público de Curitiba com o da Região Metropolitana.

Ainda sobre transporte público, Greca prometeu criar uma tarifa diferenciada, para horários alternativos, diminuindo a sobrecarga nos horários de alto fluxo e revitalizar os terminais de ônibus.

Sobre educação, Greca afirmou que nos primeiros dias de gestão vai identificar a real necessidade de vagas no ensino fundamental e na educação infantil na cidade.

No plano de governo, uma das propostas e colocar Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) em funcionamento, abrir turmas de berçário e aumentar as vagas para crianças entre zero e três anos.


Fonte: Com informações da UOL