Em 2ª parte de entrevista, Suzane Richthofen diz ter vontade de ser mãe

A segunda parte da entrevista explorou detalhes da relação de Suzane com Sandra Regina Ruiz Gomes dentro da prisão de Tremembé.

 Na segunda parte da entrevista a Augusto Liberato, transmitida na madrugada desta sexta-feira (27) pela "TV Record", Suzane von Richthofen, 31, deu detalhes da relação com Sandra Regina Ruiz Gomes dentro da prisão, na cidade paulista de Tremembé. Ela afirmou ao "Programa do Gugu" que não vive um "amor de cadeia" e que sempre teve desejo de ser mãe.

"Eu sempre achei lindo mulher grávida, sempre tive esse sonho", disse a ré confessa, condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais ao lado do então namorado, Daniel Cravinhos, e do cunhado, Christian Cravinhos, em 2002.

Perguntada pelo apresentador sobre o que diria aos filhos sobre o que aconteceu com os avós, Manfred e Marízia von Richthofen, Suzane afirma que diria que fez "uma grande besteira na  vida, me arrependo muito, se pudesse voltar, tudo seria diferente, mas não tem como voltar".
Relacionamento na prisão

A segunda parte da entrevista explorou detalhes da relação de Suzane com Sandra Regina Ruiz Gomes dentro da prisão de Tremembé.

Ela conta que se conheceram em 2007, quando foi transferida para o presídio, a cerca de 150 km de São Paulo, mas que Sandrão, como Sandra é conhecida, namorava outra detenta, que obteve liberdade.

Trabalhando na oficina de confecções da Funap (Fundação de Amparo ao Preso), as duas se aproximaram, sobretudo por iniciativa de Sandra: "Chegou um dia em que eu disse: 'Você pode até parar de falar comigo, mas preciso te dizer - eu estou apaixonada por você'", conta a presa, condenada por sequestro seguido de morte, e que obteve direito ao regime semiaberto nesta semana.

Ela ainda não sabe se aceitará a progressão de pena pois, assim como Suzane, teria de deixar o presídio de Tremembé, que não possui uma ala para este tipo de regime. Em 2014, Suzane recusou ir para o semiaberto. Na entrevista transmitida nesta quarta-feira, também no "Programa do Gugu", Suzane contou ter escolhido assim por temer a violência de outras presas que "não aceitam o crime que cometi".

Nesta sexta, Suzane contou que deseja entrar com novo pedido de progressão de regime, para o semiaberto, e ir para o mesmo presídio que Sandra.
Regras para convivência

As duas ocupam uma das duas celas separadas pela diretoria da prisão para casais. Na entrevista a Augusto Liberato, as duas afirmam haver regras para moralizar o ambiente.

"Quando um casal briga e dá um tempo, deve ficar um mês fora das celas de casais antes de voltar. E quando se separa, deve esperar seis meses antes que forme um novo casal e se mude para lá", conta Sandra.

Sobre a falta de privacidade, Sandra conta que o problema é resolvido fazendo "cabanas" com lençóis sobre as camas.

As duas negam que Suzane tenha sido pivô da separação de Sandra e Elize Matsunaga, condenada pela morte e esquartejamento do marido, Marcos Matsunaga - dono da Yoki. Sandra, aliás, afirmou que nunca teve nada com Elize, apesar do que disse o noticiário.
Homossexualidade

Suzane afirmou que nunca havia se relacionado com ninguém após o crime, e que seu único relacionamento havia sido Daniel Cravinhos, com quem nunca mais falou, nem mesmo por carta.

Ao ser questionada pelo apresentador sobre não ter se relacionado com alguém desde a época do crime, Suzane disse que "foi um período muito turbulento, de muito sofrimento. Não tinha espaço para um relacionamento". Daniel Cravinhos se casou em dezembro de 2014 com a filha de uma agente penitenciária.

Deste modo, Suzane afirma que nunca tinha se relacionado com uma mulher. "Não foi muito fácil assumir que eu estava gostando de uma outra mulher. Acho que não foi fácil assumir para mim. Antes de assumir para qualquer pessoa, precisava assumir para mim", conta.

Fonte: Uol