Em cerimônia emotiva, corpo de Saramago é cremado em Lisboa

Cinzas do escritor vão ficar na capital de Portugal

O corpo de José Saramago foi cremado neste domingo (20) em uma cerimônia emotiva no cemitério do Alto de São João, em Lisboa, capital de Portugal. Familiares do escritor português e inúmeros amigos, intelectuais e autoridades locais assistiram à cerimônia. Após o velório na Prefeitura de Lisboa, onde milhares de pessoas se despediram de Saramago desde a tarde de sábado (19), o cortejo fúnebre percorreu o centro da capital entre aplausos das centenas de pessoas presentes ao último adeus. Na cerimônia de cremação, a esposa de Saramago, Pilar del Río, afirmou que morreu "um homem bom, uma excelente pessoa e um magnífico escritor". - Só devem chorar hoje os que não o conheceram. Cinzas devem ficar em Portugal Segundo o presidente da Fundação José Saramago, José Sucena, as cinzas do escritor ficarão em Portugal “por vontade expressa” de Saramago. A informação é confirmada por Vítor Guia, amigo do escritor português, e pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa. - As cinzas do escritor José Saramago descansarão na cidade de Lisboa, mas a sua obra é uma obra que é património de toda a humanidade e a sua mensagem, o seu desassossego, continuarão a desinquietar-nos e a desinquietar todos aqueles que lerem a sua obra. Escritor enfrentava leucemia José Saramago faleceu em sua casa, em Lanzarote (Ilhas Canárias, na Espanha, onde vivia desde 1993), por causa de uma leucemia crônica. Depois de ser velado na ilha espanhola, o corpo do escritor foi levado para Portugal na manhã de sábado. Único escritor da língua portuguesa a receber o Prêmio Nobel de Literatura, conquistado em 1998, Saramago morou os últimos 17 anos de sua vida fora de Portugal. O escritor escolheu o exílio nas ilhas espanholas por causa das críticas ao seu livro O Evangelho Segundo Jesus Cristo, que foi censurado em 1991 pelo governo de seu país.

Fonte: R7, www.r7.com