Em Novo Oriente, Implantação de viveiro gera mudança consciência ambiental

Em Novo Oriente, Implantação de viveiro gera mudança consciência ambiental

De acordo com Manoel José da Luz, secretario de agricultura do município, o projeto trás desenvolvimento sustentável com a recuperação de áreas degradadas

A escola municipal Pinto Aguiar, no município Novo Oriente, Piauí, está sendo beneficiada com o projeto de implantação de um viveiro de mudas. Aconteceu na ultima terça-feira, 26, a capacitação para alunos, professores e agricultores membros da comunidade que serão os protagonistas do projeto.

A capacitação sensibilizou os agricultores e lideranças comunitárias para a instalação do viveiro de mudas comunitária a partir da troca de conhecimentos sobre a produção sustentável de mudas frutíferas e nativas.

Álvaro Ramos e Genival Araújo, coordenadores do Programa Uma Terra Duas Aguás ( P1+2) responsável pelo projeto, estudaram junto com os participantes da capacitação todos os passos para a implementação do viveiro de mudas, estabelecendo um cronograma que será seguido passo a posso durante o processo de implantação .Cerca de 30 pessoas participaram da curso.

Alane Nunes, 17 anos, aluna da escola disse que o projeto é interessante e que é sempre bom aprender a cuidar melhor do meio ambiente. “Acredito que o viveiro de mudas vai causar uma grande diferença na nossa paisagem escolar” afirma a aluno do 1º ano.

De acordo com Manoel José da Luz, secretario de agricultura do município, o projeto trás desenvolvimento sustentável com a recuperação de áreas degradadas, reflorestamentos, além de possibilitar geração de renda com a comercialização de produtos como o buriti, maracujá do mato entre outros produtos típicos da nossa região.

A secretaria de educação de Novo Oriente, Maria de Lourdes Rufino, afirmou que o projeto é uma vitória para o município que precisa de incentivos na área da educação ambiental.Ela explica que as cisternas vieram atende uma necessidade de água para plantação e até mesmo para consumo humano, mas que a recuperação do verde vai trazer estimulo para que os agricultores voltem a plantar em suas casas, em suas terras.

Com o objetivo de recuperar árvores e frutas nativas da região, o projeto visa ainda educar para melhor convivência com semiárido, arborizar a cidade, reflorestar a margem do rio São Mateus e incentivar o cuidado com meio ambiente.

Para Genival Araújo, técnico agrícola, “a comunidade recebe de forma muito receptiva o projeto, pois já possui a consciência dos seus benefícios, principalmente no que diz respeito à recuperação de áreas degradadas, recuperação de suas culturas e a reflorestamento da margem do rio”.

O viveiro de mudas será implantado na primeira quinzena de setembro. O projeto tem como parceiros além da Escola de Formação Paulo de Tarso, escultora do projeto, conta com financiamento da Fundação Banco do Brasil e ASA Brasil.





Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Assessoria