"Emagreci porque queria viver", diz universitário que perdeu 67 kg

"Emagreci porque queria viver", diz universitário que perdeu 67 kg

José Alfredo de Mendonça, de 20 anos, chegou a pesar 155 kg aos 14. Com medo de cirurgia, ele passou a fazer dieta e a malhar na academia.

?Não queria entrar na faca. Tinha medo de ser submetido a uma cirurgia bariátrica. Acreditava que diminuir o estômago e não "mudar" a cabeça não ia funcionar. Procurei ajuda e hoje estou satisfeito. Emagreci porque queria viver?, diz o jovem universitário José Alfredo de Mendonça, de 20 anos, que já conseguiu perder 67 kg.

Ele conta que começou a engordar aos cinco anos. Para ele, comer era algo divertido e a ânsia fazia parte do seu comportamento na hora de devorar os lanches. ?Cheguei a comer dois pacotes grandes de salgadinho logo depois do almoço e aos oito já estava com 90 kg?, disse.

Com o passar do tempo ele foi engordando até que a vaidade da adolescência o fez sentir os problemas da obesidade. ?Gosto de me vestir bem, mas isso era muito difícil quando eu tinha 14 anos. Só conseguia encontrar roupas que coubessem em mim em uma única loja da cidade e ficar de calção para nadar com a turma, nem pensar. O uniforme do colégio era feito sob medida. Quando saía à ruas, as pessoas ficavam rindo. Estava constrangido comigo mesmo?.

Segundo Mendonça, a comida era como um vício, e ele, o dependente. ?Comia sem pensar. Era por puro prazer. Quando comecei a dieta passei a viver um dia de cada vez assim como um drogado que precisa de uma dose?, disse ao lembrar os 155 kg que tinha à época.

?Foi quando decidi mudar. Sempre fiz esporte e adorava jogar tênis, mesmo obeso. Só faltava reeducar minha alimentação e assim eu fiz. Em quatro meses emagreci 20 kg, mas ainda estava com 135 kg. Faltava muito, mas tive pensamento positivo, sabia que poderia perder mais?. E perdeu. O universitário chegou aos 88 kg após dois anos de dieta e malhação. Hoje, ganhou massa magra e se diz satisfeito com os atuais 105 kg.

Ainda segundo o universitário, o cardápio não mudou completamente. Os doces não foram descartados, apenas a quantidade foi reduzida. ?Não adianta parar de comer se o estômago ainda é bastante largo. É pior porque engorda tudo outra vez quando volta a comer. Então, apenas reduzi?, disse ao lembrar que a dieta foi orientada por uma nutricionista.

?Com o passar do tempo, criei novos hábitos e aprendi a comer de forma saudável. Hoje posso dizer que tenho fome de salada. De vez em quando eu exagero na quantidade, mas compenso durante a semana seguinte e por aí vai. Não tenho medo de engordar tudo de novo porque me conheço e, o mais importante, sei me controlar. Além disso, o exercício me permite comer mais?.

Alfredo ainda diz que quem quer emagrecer não pode ficar dando desculpas para si mesmo e só adiar a mudança nos hábitos. ?Esse negócio de que o metabolismo é lento e que só na segunda-feira pode começar o regime é desculpa. Pensem que a saúde é o maior bem que uma pessoa pode ter e confiem em vocês mesmos que dá tudo certo?, finalizou o jovem.

Fonte: G1