Empresa no litoral do Piauí cria a cajuína orgânica rica em nutrientes e boa à saúde

Trata-se da cajuína orgânica, que já vai ganhando espaço das fábricas da bebida e o gosto dos consumidores.

O sabor da cajuína ganhou o gosto dos piauienses e de muitas pessoas por todo o Brasil. Além de já ser diferente dos refrigerantes, apontados como um dos principais vilões da saúde, a bebida mais popular do Piauí agora tem uma versão ainda mais saborosa.

Trata-se da cajuína orgânica, que já vai ganhando espaço das fábricas da bebida e o gosto dos consumidores.

Proveniente do caju, uma das frutas cuja produção no Piauí bate recordes, a cajuína já é fabricada em cerca de 400 fábricas por todo o estado. A produção anual dessas fábricas chega à impressionante marca de 4 milhões por ano. No entanto, em meio a essas 400 fábricas, apenas uma, em Parnaíba, fabrica a nova fórmula orgânica da bebida.

Josenilton Lacerda, agrônomo e proprietário da fábrica, conta como ele conseguiu chegar à fórmula da cajuína orgânica. “Fomos fazendo vários testes e em um deles uniu três tipos de caju.

O resultado foi um sabor específico dessa cajuína. Sabor diferenciado e que ganhou o gosto de quem provou. É um sabor mais leve do que a cajuína convencional. Não tem aquele sabor tão forte”.

O contato dos consumidores com a nova cajuína dá a escala de sucesso que a bebida conseguiu. “A maior parte das pessoas que tomam cajuína pela primeira vez já aprova de cara.

É uma bebida tão refrescante quanto um refrigerante, quanto um suco, mas o bom é que tem diversos elementos nutricionais e nenhum produto químico”.

O relato de Josenilton ganha a aprovação de Helder Barbosa, consumidor de cajuína. “A cajuína em si já é uma delícia. No nosso calor característico do estado tomar um gole de cajuína geladinha deixa até o humor melhor.

Um amigo de Parnaíba trouxe para mim a cajuína orgânica sem me falar que ela era diferente das outras, acho que ele nem sabia. Quando tomei senti na hora um gosto diferente. Virei fã na hora e perguntei onde era a fonte”, conta o empresário aos risos.

Na casa de Helder, o consumo de cajuína superou o de refrigerantes. “Meus filhos e minha esposa se renderam à cajuína e hoje se chateiam quando não tem. Antes alguém saia para ir comprar refrigerante para almoçar. Hoje saem para comprar cajuína. É uma mudança no sabor e na nossa saúde”.

Bebida é rica em nutrientes e faz bem à saúde

Com boas concentrações de cálcio, fósforo e ferro, a bebida é rica nos nutrientes que estão diretamente ligados à construção e manutenção dos ossos e dos dentes, à fabricação das células vermelhas do sangue e ao transporte do oxigênio para todas as células do corpo.

A nutricionista Camila Pacheco avalia os fatores nutricionais presentes na bebida. "A cajuína é rica fonte de vitaminas A e C, com isso, ajuda a fortalecer o sistema imunológico, proteger a pele, estimular as defesas do organismo e auxilia na renovação das células no nosso corpo. Quando se tem um produto orgânico, esses nutrientes estão ainda mais ativos, ou seja, fazem bem ao consumidor".

Fotos: José Alves Filho

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Virgínia Santos e Victor Costa