Enem terá 17 mil detectores de metal para evitar fraude e 'selfies' nas provas

A estratégia de vistoria é mantida em sigilo.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá mais de 17 mil detectores de metal espalhados pelos locais de prova de todo o país para tentar combater qualquer tentativa de fraude nas provas deste sábado (8) e domingo (9). "Vamos usar muito rigor", disse o ministro da Educação Henrique Paim em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira (7) em Brasília. Ele disse ainda que o custo do Enem por aluno será de R$ 52. Mais de 8,7 milhões de candidatos estão inscritos.

Segundo Paim, milhares de pessoas foram treinadas para usar o equipamento móvel, no estilo raquete" e o candidato do Enem pode ser abordado a qualquer momento. "Temos estratégias de segurança que não podem ser apresentadas previamente", disse Paim. "Fiscal tem poder de abordar as pessoas caso verifique algum tipo de problema."

As provas serão aplicadas em 1.752 municípios. Serão 17.367 locais e um total de 242.948 salas.  Entre os locais que receberão o Enem pela primeira vez estão quatro municípios isolados do Acre: Marechal Thaumaturgo, Jordão, Porto Walter e Santa Rosa do Purus.

A estratégia de vistoria é mantida em sigilo. “A revista poderá ser feita a qualquer momento da prova. Os fiscais, chefes de sala e outros colaboradores estão orientados, e podem solicitar a ajuda dos equipamentos”, explicou o ministro da Educação, Henrique Paim. A organização não deixou claro se a revista obrigatória será feita na chegada ao local de prova ou na entrada da sala, para evitar a elaboração de fraudes.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo