Enfisema pulmonar está ligado ao câncer

Enfisema pulmonar está ligado ao câncer

Recente pesquisa mostra que o enfisema pulmonar visível ao médico radiologista através de uma de uma tomografia está mais associado com câncer

Uma prova de que o ?olhar? humano e interpretação correta de um bom profissional faz toda a diferença é o que foi dado por uma recente pesquisa divulgada por uma revista internacional. Nela, ficou comprovado que o enfisema pulmonar visível ao médico radiologista através de uma tomografia computadorizada estava mais associado ao risco de câncer de pulmão. ?Ou seja, o médico consegue ver melhor se um paciente com enfisema está ou não com risco de câncer de pulmão associado a este outro mal, comparando a uma ?análise? feita por programas de computador?, comenta o doutor em Radiologia e professor adjunto da Universidade Federal do Piauí, médico Gerson Prado.

Ainda conforme explica o médico, este risco não é apresentado quando o enfisema é detectado através de sistema automático computadorizado. A suspeita dos estudiosos é, portanto, que radiologistas e computadores detectam diferentes tipos de enfisema. Em relação ao risco de desenvolver câncer de pulmão, parece que os radiologistas detectam o tipo de enfisema que realmente importa. ?O fato é que, sem dúvida, essa pesquisa está começando a trazer uma nova luz sobre a complexidade do enfisema e da sua associação com câncer de pulmão. E ainda das formas realmente eficazes de detectar os dois problemas?, asseverou Gerson Prado.

Os pesquisadores fizeram uma revisão sistemática e meta-análise de sete estudos publicados, a fim de explorar a evidência da associação entre enfisema detectado por tomografia computadorizada e câncer de pulmão. Cinco estudos de TC de Tórax em pacientes sem história de câncer de pulmão preenchiam os requisitos para a pesquisa.

O estudo incluiu 7.368 indivíduos, sendo 2.809 com enfisema detectado pela TC e 870 diagnosticados com câncer de pulmão. A taxa de frequência do câncer de pulmão foi cerca de 2.11 vezes maior entre os pacientes com enfisema detectado pela tomografia quando comparados com aqueles sem enfisema.

Quando os pacientes foram estratificados pelo método de detecção, as taxas de incidência do câncer de pulmão foram de 3.5 vezes maiores quando o enfisema era detectado visualmente pelo radiologista que interpretava a tomografia, ao passo que não houve mudança significativa na taxa quando o enfisema era detectado através da densitometria quantitativa guiada por um programa de computador.

De acordo com o Dr. Gerson Prado, ficou claro que os pacientes que tiveram o enfisema detectado visualmente por um radiologista possuem um risco elevado de desenvolver câncer de pulmão. ?Para esses pacientes, parar de fumar imediatamente e mudar hábitos de vida são as melhores alternativas. Eu também encorajaria esses indivíduos a procurarem um pneumologista e se possível realizar com certa periodicidade uma tomografia de tórax com um radiologista treinado e de sua confiança, sobretudo para os pacientes tabagistas e com enfisema?, concluiu o especialista.

Fonte: Ass