Modalidade ensino a distância enfrenta dificuldade no Piauí

Modalidade ensino a distância enfrenta dificuldade no Piauí

No Piauí, a modalidade de ensino a distância foi iniciada em 2005.

Uma modalidade de ensino na qual a educação é mediada por tecnologias. No Ensino a Distância, em que alunos e professores estão separados por não estarem fisicamente presentes em um ambiente de ensino-aprendizagem, a não ser nas aulas presenciais, as dificuldades são inúmeras. No Piauí, a modalidade foi iniciada em 2005, mas foi apenas em 2007 que se consolidou.

As dificuldades são maiores quando relacionadas aos alunos. Para os estudantes, lidar com as várias ?ferramentas? do EAD, como videoaulas, leituras extracurriculares, apostilas e discussões online, talvez seja, a princípio, o maior problema.

Para Thiago Viana, que terminou recentemente o curso de Gestão Pública Municipal através do EAD, a falta do professor, no início, e as deficiências no serviço de internet eram suas principais dificuldades.

?Como estudei grande parte do tempo em escola regular, quando comecei no EAD fiquei surpreso e senti falta do professor. Logo no início também, como não estava habituado com esse modelo, eu atrasava muitas atividades.

Mas, com o passar do tempo, comecei a seguir um cronograma e fui me adequando aos prazos. Depois disso, superei minhas expectativas e hoje me sinto satisfeito com os resultados que alcancei?, comenta.

O manuseio da plataforma virtual de aprendizagem também é uma das dificuldades dos docentes. De acordo com a diretora do Núcleo de Ensino a Distância da Uespi, Marcia Percilia, mesmo com os professores sendo treinados para trabalhar nesse meio, muitos ainda apresentam problemas. ?Uma das principais dificuldades é o manuseio, alguns não têm muito contato e por isso acabam apresentando esses problemas?, explica.

Mas para os estudantes e professores terem êxito no EAD, é necessário que eles se familiarizem com as tecnologias.

Os estudantes devem participar de aulas e discussões virtuais e esclarecer algum ponto do material de estudo que não ficou claro. Outro ponto importante é entender que cumprir todas as atividades propostas pelo curso a distância não significa que realmente se absorveu o conteúdo delas.

No EAD, o material de estudo está disponível para revisões constantes e é bom que o aluno aproveite essa vantagem para se certificar que domina o tema estudado.

Internet ruim é a grande vilã

No Piauí, a internet ainda deixa a desejar e esse é um dos pontos que mais influenciam no aprendizado dos alunos.

Além disso, a não familiaridade com as novas tecnologias é outra dificuldade que atrapalha a vida dos estudantes. "Na aula inaugural de cada curso, a diretoria e alguns técnicos da rede treinam os alunos e os orientam sobre o uso da plataforma, mas mesmo assim alguns têm dificuldades de postar atividades, de participar dos chats", comenta a diretora do Núcleo de Ensino a Distância da Uespi.

Segundo Thiago, nessa modalidade de ensino, o grande vilão para muitos estudantes é a internet. Ele conta que não conseguia ter acesso aos vídeos e que muitas vezes não conseguia ter acesso a plataforma. "Meu polo era em Campo Maior e lá a internet não é tão boa.

Muitas vezes eu até conseguia entrar na plataforma, mas não conseguia ter acesso aos vídeos. Em outras situações, como os chats, que são ao vivo, era difícil participar, quando estávamos discutindo, quase sempre a conexão caía", lamenta.

Em meio a esses problemas, os alunos devem ter uma autodisciplina e começar a distribuir seus estudos ao longo da semana, para não acumular. Além disso, eles podem pedir apoio aos tutores para eles darem um suporte quando precisar ou um outro colega do mesmo curso pode ser um "ombro amigo" nessas horas de desânimo.

Em todos os 24 polos da UESPI estão disponíveis laboratórios de informática com técnicos que podem auxiliar os alunos.

Fonte: Aline Damasceno