Entidades discutem evento em defesa da mulher vítima de violência

O evento acontecerá em 24 de junho em Miguel Alves

Image title

Representantes de entidades civis e órgãos públicos que compõem o Fórum Estadual de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher do Campo e da Floresta se reuniram, nesta quinta-feira (18), na sede da Coordenadoria Estadual da Juventude, para discutir sobre a realização de ação em prol do atendimento às mulheres em situação de violência.  O evento, que contará com palestras e oficinas sobre o tema, acontecerá no dia 24 de junho, no Assentamento Centro do Designo, na cidade de Miguel Alves.

Segundo a diretora de articulação interinstitucional e ações temáticas do Fórum, Ionara Evangelista, o objetivo do evento é possibilitar às moradoras do Assentamento mais informações sobre políticas sociais voltadas para a defesa da mulher.

“A violência contra a mulher é algo que está tomando proporções gigantescas em nosso Estado. Nossa intenção com esta ação é mostrar a estas mulheres que elas não estão desamparadas socialmente. Através de oficinas e palestras com autoridades políticas e civis, vamos pautar este assunto de suma importância para o conhecimento destas cidadãs”, afirma Ionara.

Esta é a primeira ação que o Fórum organiza. Posteriormente, outras cidades e comunidades serão contempladas com a realização deste evento itinerante.

Diversas entidades públicas e civis que integram o Fórum Estadual de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher participaram da reunião, tais como: Ministério Público do Estado; Coordenadoria Estadual de Políticas para as Mulheres; Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Mulher; as Secretarias Estaduais de Educação, Trabalho e Empreendedorismo; Defensoria Pública do Estado; União Brasileira das Mulheres; e a Federação Estadual de Entidades Comunitárias do Piauí.

Temas como a Lei Maria da Penha, políticas públicas em defesa da mulher e a situação desta no mercado de trabalho serão discutidos nas oficinas e palestras. O evento também contará com atendimento de profissionais da área da saúde, como médicos, assistentes sociais e psicólogos.

 

A promotora de Justiça e coordenadora do Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID), Maria do Amparo de Sousa Paz, reitera o comprometimento do Ministério Público em dialogar abertamente com as moradoras do Assentamento Centro do Designo.

“Esta ação é um grande avanço em defesa dos direitos da mulher. Em pleno século 21 e o sexo feminino ainda sofre com o preconceito e a violência. Precisamos sanar esta mazela que consome boa parte das mulheres do nosso Estado. A situação da mulher está cada vez mais difícil na sociedade, mas com garra e luta conseguiremos acabar com esta deficiência histórica”, pontua Amparo.

Fonte: Assessoria