Entulho causa transtorno a moradores e taxistas no bairro da Vermelha

o responsável pela maior parte do lixo é o dono de uma estofaria próxima

Uma grande quantidade de lixo tem tirado o sossego de muita gente na avenida Barão de Gurguéia, em frente à igreja da Vermelha, na zona sul da capital. O entulho é composto basicamente por restos de sofás e poltronas velhas, com pedaços de madeira, estofado e papelão por todos os lados. Quem mora ou trabalha por perto denuncia que o responsável pela maior parte do lixo é o dono de uma estofaria próxima, que deposita o material na calçada.

Os taxistas que trabalham a apenas alguns metros do entulho queixam-se do mau cheiro, pois muitas pessoas jogam até animais mortos no local. Francisco Rodrigues Lima, taxista que trabalha há 35 anos na localidade, reclama que ele e outros seis companheiros de profissão já estão perdendo clientes por conta da situação. ?Quando o odor aperta, temos que irar nossos taxis daqui e manter os vidros fechados?, reclamou o trabalhador

O que mais chama a atenção é que o material é jogado na calçada, bem na frente da Unidade Escolar Gabriel Ferreira, impedindo a passagem e oferecendo riscos a quem tem de passar pelo lugar. Afinal, o que não faltam no entulho são tábuas com pregos enferrujados, restos daquilo que um dia foi um sofá ou uma poltrona. ?Se alguém pisa nisto aqui, a situação fica muito complicada?, disse Francisco Rodrigues, coletando um prego no chão.

Informado da situação do local, o Superintendente da SDU Sul, João Pádua, afirmou desconhecer o problema. Questionado sobre as punições a quem pratica esse tipo de conduta, Pádua foi enfático. ?Se for pego, aplicamos multa ao responsável pela sujeira?, disse. De acordo com informações dos taxistas, o dono da estofaria já chegou a ser multado por pelo menos três vezes, mas mesmo assim continua jogando o lixo na esquina.

A montanha de entulho estava ainda maior na tarde da terça-feira e foi fotografada pelo jornal MN, mas, de acordo com informações locais, o dono da estofaria mandou que o material (a maior parte composta de pedaços de madeira) fosse quebrado para dar uma impressão de ser menor. ?Chegamos aqui cedo para trabalhar, e havia algumas pessoas quebrando esse entulho? relatou o taxista Francisco.

Fonte: Dowglas Lima