Enxame de abelhas africanas ataca pessoas no Centro da capital

O ataque de abelhas ocorreu na Praça Rio Branco, no Centro.

Um enxame de abelhas africanas, que estão em uma árvore, atrás da Igreja Nossa Senhora do Amparo, está atacando adultos, crianças e idosos que passam pela Praça Rio Branco, no Centro de Teresina.

Martinho afirma que os ferimentos estão doendo muito, principalmente nos braços. A farmacêutica Socorro Cardoso orientou que  o aposentado fosse a um  hospital tomar um antialérgico.

O professor de Educação Física, Nazareno Sousa, que também passava pela Praça Rio Branco, foi picado no dedo da mão e nas costa. Ele  teve que tirar a camisa, pois uma abelha ficou presa em seu corpo.

As pessoas estão sendo atacadas pelas abelhas (Crédito: Efrém Ribeiro)
As pessoas estão sendo atacadas pelas abelhas (Crédito: Efrém Ribeiro)

Na tentativa de espantarem as abelhas, os sapateiros, que trabalham na Praça Rio Branco, atearam fogo no enxame. “Elas não estão deixando a gente trabalhar”, afirma o sapateiro Antônio Carlos.

O sapateiro Francisco Monteiro da Silva, disse que as abelhas estão em cima das carnaubeira há três meses, e quando o vento fica mais forte, elas atacam as pessoas.

Francisco conta que há cerca de dois meses, uma senhora foi picada, como ela era alérgica, passou mal em casa, entrou em coma e morreu.

"A gente soube da morte dela, pois uma parente da senhora passou aqui na Praça e nos comunicou que ela havia falecido". Ela morreu vítima da picada de abelha". conta.

O sapateiro disse que seu irmão, Antônio Monteiro, foi atacado pelas abelhas e passou o dia todo internado no Hospital de Urgências de Teresina (HUT). "Apesar de há três meses as abelhas atacarem as pessoas aqui na Praça, ninguém toma providência", afirma Francisco.














Fonte: Efrém Ribeiro, do Jornal Meio Norte