Equipe médica chama mãe de "neurótica", e menina de 2 anos morre menos de 24h após alta

Equipe médica chama mãe de "neurótica", e menina de 2 anos morre menos de 24h após alta

A mãe implorou para que mais exames fossem feitos na filha

Uma menina de apenas dois anos morreu menos de 24 horas após receber alta do hospital geral de Northampton, na Inglaterra. A mãe implorou por cerca de cinco horas para que mais exames fossem feitos na filha, que já tinha histórico de problemas cardíacos. No entanto, a menina foi liberada e faleceu pouco depois.

Brooklyn Harrold (foto) foi levada ao hospital geral de Northampton, no dia 9 de maio deste ano, com uma febre muito alta. Os médicos suspeitaram que a menina sofresse de gastroenterite, uma inflamação que afeta o estômago e o intestino. Brooklyn passou a noite internada, mas recebeu alta na manhã seguinte.

Segundo informações do tabloide britânico Daily Mail, a mãe da criança, Leanne Harrold, desconfiou do tratamento que a filha recebeu e pediu aos médicos que fizessem um exame de sangue completo em Brooklyn.

Apesar do pedido da mãe, os médicos liberaram a menina na manhã seguinte. Segundo Leanne, membros da equipe médica disseram que ela estava sendo "neurótica" ao exigir novos exames.

Menos de 24 horas após ser levada para a casa dos avós, uma ambulância foi chamada para levar Brooklyn de volta ao hospital. O exame completo, que a mãe já havia solicitado, foi então realizado e os médicos começaram os preparativos para transferir a menina para um hospital infantil.

Ainda não se sabe como a menina desenvolveu a infecção no sangue, mas os médicos acreditam que ela pode ter tido uma infecção do fígado que se espalhou para a corrente sanguínea.

A criança já tinha um histórico de problemas médicos, ela nasceu com uma doença cardíaca rara que a levou a ter uma grande artéria em vez de duas. Brooklyn precisava de uma operação para instalar um tubo que ligaria o coração aos pulmões.

Os médicos precisaram colocá-la em coma induzido para realizar a operação, mas ela morreu minutos depois de ser sedada.


Equipe médica chama mãe de

Fonte: r7