Equipes resgatam mais um corpo e mortos em desabamento de prédio chega a 14

Equipes resgatam mais um corpo e mortos em desabamento de prédio chega a 14

Entre eles, há sete homens e seis mulheres --o último corpo ainda não foi reconhecido.

Os bombeiros confirmaram que mais um corpo foi encontrado no final da tarde desta sexta-feira (27) vítima do desabamento de três prédios no centro do Rio de Janeiro na quarta-feira (25), subindo para 14 o número de mortos. Entre eles, há sete homens e seis mulheres --o último corpo ainda não foi reconhecido.

O corpo da 13ª vítima foi levado embora em meio aos escombros. ?Um corpo em estado muito dilacerado saiu do local sem que nós percebêssemos e foi levado ao local destinado aos entulhos. Agora, ele está sendo encaminhado ao IML. Nós conseguimos identificar que é uma mulher por uma das mãos. O corpo não estava queimado, mas com muitos traumas, o que dificultava a identificação?, alegou o secretário da Defesa Civil, Sérgio Simões, que disse que os trabalhadores redobrarão a atenção.

Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Instituto Médico Legal para identificação. Até o momento, foram identificados seis corpos --três homens e três mulheres: Celso Renato Braga Cabral, 44, Cornélio Ribeiro Lopes, 73, o porteiro de um dos edifícios, sua mulher, Margarida Vieira de Carvalho, 65, Nilson de Assunção Ferreira, 50, Alessandra Alves Lima, 29, e Elenice Consani Quedas, 64.

As equipes de socorro, comandadas pelo Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros com o apoio da Defesa Civil e da Polícia Militar, intensificaram hoje o trabalho de busca por mais vítimas, já que ainda há cerca de 12 desaparecidos. Cães farejadores ajudam nos resgates. As dificuldades, segundo os bombeiros, são geradas principalmente pela nuvem de poeira que ainda é intensa no local.

Mesmo mantendo os trabalhos, o secretário da Defesa Civil afirmou nesta sexta-feira (27) que não trabalha mais com a possibilidade de achar sobreviventes.

Os acessos a cinco prédios da rua Treze de Maio estão totalmente bloquados --a situação só será normalizada na segunda-feira (30). A prefeitura afirma que não há "qualquer tipo de risco estrutural" para esses imóveis, mas as interdições foram determinadas por questão de prevenção.

Fonte: UOL