Erro no trânsito pode ser fatal e acabar em diversas mortes

O que causa a maioria das mortes é a imprudência e o stress dos condutores.

O trânsito é considerado uma tarefa árdua para muitos motoristas. Isso porque imprudência, falta de atenção e excesso de velocidade são os responsáveis pelos acidentes que acontecem diariamente em todo o mundo.

Apesar dos motoristas passarem por um Centro de Formação de Condutores, mais conhecido como Auto-Escola, o que é aprendido no local, muitas, vezes fica só na teoria e acaba esquecido pelo condutor.

A chefe de divulgação de Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Teresina (Strans), Iranildes Sitaúba, explica que apesar das campanhas educativas, os motoristas não cumprem regras básicas de trânsito, gerando transtorno e engarrafamento.

?A Strans e o Detran trabalham para educar os motoristas, mas infelizmente temos milhares de condutores mal-educados, que não respeitam as normas mínimas. Estacionam em locais proibidos, não respeitam as faixas de pedestres, excedem a velocidade, e apesar das multas, eles parecem nunca aprender?, explicou Iranildes.

Quando o condutor ainda está em formação, é ensinado a fazer o retorno permanecendo à esquerda, próximo ao canteiro central, e sinalizar a intenção de retornar, já que a faixa da esquerda é usada para o trânsito rápido, mas na prática isso não acontece, e o motorista acaba causando congestionamento, parando na faixa da esquerda. ?O pior é que muitos se estressam, discutem, terminando muitas vezes em tragédia, já que alguns motoristas andam armados?, alertou Iranildes.

As infrações mais cometidas nos anos de 2012 foram estacionamento Proibido, o não uso do cinto de segurança e o excesso de velocidade. Já no primeiro trimestre deste ano, o excesso de velocidade vem em primeiro lugar, parar em cima da faixa de pedestre em segundo e o não uso do cinto de segurança em terceiro.

?Apesar da fiscalização eletrônica e dos guardas, os motoristas parecem não temer as multas e excedem a velocidade, fator de risco para outros veículos e pedestres?, alertou Iranildes.

A chefe de divulgação da Strans faz uma alerta para aqueles motoristas que discutem no trânsito, sendo esse um dos fatores que mais provoca morte, já que ninguém nunca sabe do que o outro motorista é capaz, quando submetido a situações de stress.

?É ideal que o motorista tenha calma e bastante equilíbrio no trânsito, pois muitas discussões provocaram homicídios, pois alguns motoristas andam armados, e quando se sentem injustiçados, não pensam duas vezes em atirar. Se alguém se achou prejudicado por conta de alguma situação, é respirar fundo, contar até dez e seguir?.

A invasão da outra faixa provoca muitas colisões no trânsito, apesar do artigo 35 do Código Brasileiro de Trânsito (CTB) determinar que antes de qualquer deslocamento lateral, que pode ser entendido como a transposição da faixa de trânsito, o motorista deve indicar seu propósito de forma clara e com a devida antecedência, e isto não acontece na prática.

Regras básicas para um trânsito tranquilo

Quando cada motorista respeita regras básicas, o resultado é menos stress e mais mobilidade. É importante que o condutor lembre que, quando está em uma rotatória sem sinalização, a preferência é de quem já está na rotatória.

Quando o motorista sabe se posicionar, evita acidentes e prejuízo.

Quando chove os sinais costumam não funcionar, e o trânsito vira uma verdadeira "selva de pedra", pois ninguém manda no trânsito. O motorista tem que chegar ao seu compromisso e não quer se atrasar. Nesta situação, o condutor deve lembrar que a preferência é do carro que transita por uma rodovia, nas outras situações, é dos veículos que vierem à direita do condutor.

Para aqueles que aproveitam que o sinal está aberto e fecham um cruzamento, cartão vermelho, pois caso não caiba nenhum carro depois do cruzamento, o melhor é esperar. Invadir a faixa de pedestre, apesar do sinal aberto, também é infração.

O congestionamento na estrada é uma situação estressante, pois além do cansaço da viagem, o motorista tem que enfrentar aquele tráfego devagar, provocado por caminhões e carretas.

Nesta situação, o correto é que os veículos da fila mantenham distância entre si, possibilitando aos motoristas, que queiram ultrapassar, intercalem o comboio.

Fonte: Gisele Alves