Escola corre risco de desabar no bairro Parque Piauí, na zona Sul de Teresina

. O estudante, de apenas 14 anos, afirma que em dias chuvosos, as aulas são suspensas devido ao grande número de goteiras

A Unidade Escolar Professor Antônio Maria Madeira, situada no Bairro Parque Piauí, na zona Sul de Teresina tem sofrido com sérios problemas de estrutura física, dentre eles estão fios elétricos danificados, sendo este o maior problema da escola, por ter grandes chances de curto-circuito; paredes de salas e muros em risco de desabamentos; teto com goteiras; falta de ventiladores; computadores inutilizados, dentre outros.

Esse é o cenário em que se encontra a escola de Ruan Pinheiro, aluno da 7ª série e de outros 367 jovens. O estudante, de apenas 14 anos, afirma que em dias chuvosos, as aulas são suspensas devido ao grande número de goteiras.

Quando chove, as aulas são suspensas. Agora, se já estamos na escola, molha tudo até nossos materiais e temos que sair da sala. A estrutura da escola é muito antiga. Dá é medo”, explica Ruan Pinheiro, que relata ainda, que em dias ensolarados, também é ruim, principalmente, após o recreio, pois a sala ficar mais quente. Maézia Silva, de 15 anos, também estudante da 7ª série, afirma que a escola precisa passar por uma reforma urgentemente. “A escola tem muitas goteiras, paredes com buracos e muros caindo. Tudo isso atrapalha as nossas aulas. A realidade é que precisa de uma reforma urgente”, desabafa a estudante.

As funcionárias da escola, que não quiseram se identificar, também relataram as problemáticas. Dentre os casos de riscos vivenciados por eles, foi a queima de um ventilador central, durante uma aula de capoeira, com o total de 100 alunos presentes. “Esse dia foi uma loucura. Sorte que o nosso professor é forte e foi bastante ágil para retirar as crianças da sala sem que nenhuma delas se machucasse”, relata a funcionária.

A escola possui um laboratório de informática com 28 computadores, que estão há mais de 3 anos inutilizados. E para atender as necessidades da escola e dos alunos, apenas um computador funciona normalmente.

A funcionária conta que a energia elétrica disponível para a escola não suporta a instalação de outro computador e muito menos de ares-condicionados. De acordo com a superintendência da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Piauí (Seduc), a direção da escola já foi contatada e receberá uma visita na manhã desta quarta-feira,11, da equipe técnica de engenheiros para que seja feita a análise das situações precárias declaradas, a fim de que se possam tomar as devidas providências.

Fonte: Márcia Gabriele